Abílio Nogueira Filho: um chef internacional em Alegrete

Compartilhe
  • 1.9K
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1.9K
    Shares

Aos 39 anos, o alegretense Abílio Nogueira Oliveira Filho consolidou seu empreendimento no município depois de rodar o Mundo.

Em 2002, se formou em cozinheiro profissional, num curso do Senac na Capital do RS. Foram cerca de 454 horas aulas, em que aproveitoi da melhor forma possível.

Se destacou tanto, que logo recebeu convite para ir à Itália, num curso internacional, Por três meses, Abílio frequentou por um mês aulas intensivas num castelo antigo, construído em 1500, na região de Piemonte, se aperfeiçoando na área de Eno-gastronomia, depois concluiu seu curso na escola italiana de gastronomia.

Destaque mais uma vez, ele acabou recebendo o convite do diretor da escola para ir trabalhar num restaurante próximo a Turin, de propriedade do diretor. Por lá ficou mais um trimestre.

Ainda em 2003, retornou ao Brasil.Em Porto Alegre, trabalhou num conceituado restaurante juntamente com Fabian Lorenze, chef do Restaurante Fuzile.

Já em 2005, atuou como mestre numa parceira da UCS com um Instituto de Culinária da Itália, na cidade de Flores da Cunha. Uma extensão do curso da escola italiana. Foram seis meses de forma intensiva, preparando futuros chefs para trabalhar na Itália.

Por três anos e meio, Abílio viajou pelo país. Trabalhando e participando de eventos de nível internacionais. Em Brasília, cozinhou para embaixadores, cerimônia para mais de 1800 pessoas. Participou do Boa Mesa em São Paulo, evento de alta gastronomia. O alegretense relembra que em 2007, cozinhou para o então Presidente Lula.

Diz ter conquistado grandes oportunidades na profissão. Mas em 2008, acabou retornando para Itália, queria aprender as últimas novidades da gastronomia européia. Ficou três meses fazendo cursos.

No ano de 2009, aterrissou no Brasil. Em Caxias do Sul fez trabalhos de consultoria, foi chef de restaurante na Serra Gaúcha. Esteve em Minas Gerais, na cidade de Governador Valadares, atuou no ramo de massas.

Voltou para o Rio Grande do Sul e foi professor num semestre do curso de gastronomia do Senac em Porto Alegre.

Em 2011, retornou para sua cidade natal. Depois de andar pela Europa e pelo Brasil, Abílio queria oferecer o que aprendeu a sua cidade de origem.

Foram diversas oportunidades, festas de casamento, 15 anos e reiveillon. Abílio é grato as portas que se abriram em Alegrete.

Montou seu restaurante. è o proprietário do Pampa Grill e Pampa Garden em Uruguaiana. Já são oito anos na função de chef. Monta os cardápios, elabora o menu de aproximadamente 70 pratos variados e serve buffet ao meio dia. Em Uruguaiana fechou o restaurante e só retorna após a pandemia.

O alegretense conta que não está fácil o momento. Ficou algum tempo fechado na cidade, reabriu com uma série de medidas de prevenção ao coronavírus.

Em Alegrete, serve em média 200 almoços, e mantém 13 funcionários. Apaixonado por gastronomia, é grato por trabalhar na cidade que abriu oportunidades para que pudesse colocar em prática tudo que aprendeu como chef internacional.

Júlio Cesar Santos                        Fotos: acervo pessoal


Compartilhe
  • 1.9K
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1.9K
    Shares