12º BE monta passadeira flutuante em apoio à comunidade de Sinumbu no Vale do Rio Pardo

No intuito de ajudar na reconstrução de cidades e localidades que foram devastadas pela maior catástrofe do Rio Grande do Sul, o 12º Batalhão de Engenharia Combate Blindado cumpriu mais uma missão em solo gaúcho.

Dessa vez, os militares da unidade de Alegrete, prestaram apoio à população atingida pelas chuvas no estado com uma operação e montagem de passadeiras flutuantes de alumínio.

O 12º Batalhão de Engenharia de Combate Blindado, através da Unidade de Engenharia Integrante da 6ª Brigada de Infantaria Blindada “Brigada Niederauer”, montou uma passadeira flutuante de alumínio no Rio Pardinho na localidade de Germano Wink, na cidade de Sinimbu. Além disso, o 12º BE mantém a operação de outra passadeira em outro ponto do Rio Pardinho, na localidade de Alto Sinimbu, no mesmo município.

Produtora rural de Alegrete, Brandina Rohan, morreu em Porto Alegre

Conforme destacou a unidade militar de Alegrete, a missão viabilizou o aumento do fluxo do deslocamento de pessoas a pé para outros locais da cidade, contribuindo para a retomada da circulação com mais um ponto de travessia.

Fotos: 12º BE

Se inscrever
Notificar de
guest

1 Comentário
Mais antigas
O mais novo Mais Votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Rodrigo Hemerly

Como as passadeiras flutuantes são construídas? Elas são fixadas em algum ponto do leito do rio ou nas margens? Se o rio for fundo ou com conrrenteiras fortes e rápidas com os militares conseguem trabalhar no meio do rio? Várias respostas e poucas perguntas.