A Covid silenciou o trovador Luiz Damacena; ele morreu ontem de complicações da doença
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Morreu na sexta-feira(11), o trovador Luiz Damacena, aos 67 anos. Vítima da Covid-19. O quaraiense com alma alegretense, não resistiu às complicações da doença. Luiz foi transferido para o hospital de Dom Pedrito, na madrugada da última segunda-feira, mas infelizmente perdeu a batalha e foi encantar, com seus versos, outros pagos.

Mesmo com isolamento e distanciamento social, BM bate recorde de prisões e apreensão de drogas

A reportagem falou com Nara Brandolt, irmã de Luiz, ainda muito emocionada ela o descreveu como um grande pai de família, apaixonado pelos filhos e netos. Além de ter na alma a vocação como artista, bastava olhar que ele já tinha um verso na ponta da língua. “Ele participou de inúmeros concursos de trovas e apresentações com o Piquete Presilha da Amizade. Além das Campereadas e demais eventos” comentou.

 

 

Nara segue narrando que o irmão era um excelente pai, tinha três filhos. O menino trabalha no hospital São Peregrino em Veranópolis e as filha são professoras, assim como a mãe. “Ele amava a família, era um grande avô. “pontua.

Nara cita que Luiz foi compositor de muitas poesias e o sonho era fazer um livro. Há cerca de 20 anos saiu de Alegrete, depois que se aposentou, para residir em Veranópolis com a esposa e ficar perto de dois, dos filhos. Estava muito feliz pois havia ganhado de presente um carro. Regalo que foi da primogênita, segundo Nara.
Nestes últimos dias, Luiz saiu de Veranópolis para visitá-la em Uruguaiana quando sentiu-se mal e posteriormente foi transferido para Dom Pedrito. “Parece que ele estava adivinhando que isso iria acontecer e foi se despedir da filha”- comenta.

Catadores nunca pararam no isolamento social

Natural de Quaraí, Luiz passou grande parte da sua vida em Alegrete, onde todos os irmãos residem. Ele trabalhou por muitos anos na Indústria da Caal e também teve um mercado no a bairro Getúlio Vargas. Aqui, ele criou todos os filhos, acrescenta a irmã, que ressalta a saída de Luiz de Alegrete apenas quando já estava aposentado, quando adquiriu um apartamento em Veranópolis. ” Não desejo a ninguém, o que passamos com esse vírus, meu Didi me deixou”- completa ao falar de maneira muito carinhosa do irmão.

Luiz foi sepultado, na manhã de ontem(11), no Cemitério Municipal de Alegrete, a cargo da Funerária Paraíso. Nas redes sociais, muitas homenagens destacavam o seu jeito peculiar e feliz de levar a vida. Sempre com um momento de descontração e de irreverencia onde deixava a alegria, o respeito e sua integridade por onde passava.

Diretor do Foro diz que aumentou trabalho na Vara Criminal, mesmo em isolamento social

“Trovador” é uma palavra proveniente do verbo ‘trobar’, que significa compor versos. Portanto, todo trovador é considerado poeta, mas nem todos os poetas são trovadores, pois nem todos sabem metrificar, sendo que a trova é um poema de quatro versos em redondilha maior com rima e sentido completo.
A trova geralmente fala da cultura, da região e dos costumes do povo. Destaca-se na região do sul do Brasil, onde gaúchos improvisam versos se enfrentando em forma de poesia. Conhecidos como grandes trovadores estão Teixeirinha, Gildo de Freitas, entre outros.

 

Flaviane Antolini Favero


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •