Alegrete depende da AMFRO para permanecer na bandeira laranja; a Prefeitura de Alegrete não vai recorrer

Compartilhe
  • 296
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    296
    Shares

Na primeira semana após mudança no distanciamento controlado, que agora conta com mais uma região, a de Guaíba, o governo do Estado classificou, de forma preliminar, 12 localidades do Estado em bandeira vermelha, de alto risco para o coronavírus. As outras nove áreas se encontram na bandeira laranja. A informação foi divulgada pelo governo do Rio Grande do Sul nesta sexta-feira (7). Com isso, Alegrete que faz parte da R3(Uruguaiana), passou para bandeira Vermelha.

A decisão, foi uma surpresa para os alegretenses, comerciantes e também para o Prefeito Márcio Amaral. O gestor Municipal falou com a reportagem e destacou que, desta vez, em relação a Alegrete, realmente foi uma surpresa. Pois se comparado com as outras duas semanas, o Município teve uma diminuição no número de leitos que está mais estabilizado. Porém, cidade como Uruguaiana que não apresentava problemas e passou a ter uma ascensão nos casos, assim como São Gabriel, não só em positivados, mas também em óbitos, contribuiram para a decisão do governo. São Municípios que têm uma representatividade grande na área, assim como Alegrete.

” Nós sabíamos que se não tomássemos medidas duras, iríamos passar para Bandeira Vermelha. Não tem como frear o vírus, entretanto, acredito que os dois finais de semanas em que houve o lockdown contribuiram para a redução dos positivados, pois chegamos a 17 somente em um dia e agora os números estão em 10 a média. Assim como, a preocupação sempre é a taxa de ocupação de leitos na UTI Covid-19. Avalio que a população entendeu um pouco que precisamos nos cuidar” – comentou.

Já em relação ao recurso, o Prefeito Márcio Amaral disse que manifestou sua posição ainda na sexta-feira(7), no grupo da AMFRO e declarou que não vai recorrer, pois entende que outrora quando o Município passou para Bandeira Vermelha e recorreu, na semana posterior houve um registro considerável de casos na cidade. ” Mas sou democrático, a AMFRO vai recorrer, isso já está certo e, se reverter a decisão do Governo Estadual, será tranquilo. Contudo, talvez uma semana com as novas medidas da Bandeira Vermelha também possam auxiliar a reduzir a ascensão dos casos positivos”- completou.

Veja abaixo como foi a evolução de casos em uma semana, desde a decisão no último dia 31 onde a Região e Alegrete permaneceram na Bandeira Laranja e neste dia 7 de agosto quando passou para Bandeira Vermelha.

No dia 31 de julho, Alegrete registrou 17 novos casos positivos de Covid-19 e 14 pacientes recuperados. Os novos positivos eram 9 homens, 7 mulheres e uma criança, todos com idades entre 2 e 85 anos, 15 estavam em isolamento domiciliar e 2 hospitalizados. Os recuperados também, estavam em isolamento domiciliar. Ainda, naquela sexta, 5 pacientes positivos tiveram alta hospitalar e passaram para o isolamento domiciliar.

Alegrete registrava 245 casos confirmados com 151 recuperados, 84 ativos (77 em isolamento domiciliar e 7 hospitalizados) e 10 óbitos. Pessoas testadas eram 2.650, sendo 2.395 negativos, 245 positivos e 10 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal eram 310 pessoas.

Já no dia 7:

Alegrete registrou, no dia 7, mais 10 casos positivos de Covid-19 e seis pacientes recuperados. Os positivos são 6 mulheres e 4 homens, todos com idades entre 18 e 85 anos, em isolamento domiciliar. Os recuperados também estavam em isolamento domiciliar.

Com isso, o Município contabilizou 311 casos confirmados, com 195 recuperados, 105 ativos (95 em isolamento domiciliar e 10 hospitalizados) e 11 óbitos.

Até o momento, 3.245 pessoas foram testadas, sendo 2.925 negativos, 311 positivos e 9 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal eram 339 pessoas.

O número de casos em uma semana correspondeu a 66 casos positivos, 44 recuperados, 21 ativos, 1 óbito e 29 pessoas com Síndromes Gripais. O número de hospitalizados nesta comparação entre as duas sextas-feiras representava 3 pacientes a mais. Esta foi a diferença e os dados apontados nos boletins epidemiológicos entre 31 de julho e 7 de agosto.

A reportagem também tentou contato com a Prefeita Zilase Jobim Argemi Rossignollo, Presidente da Associação dos Municípios da Fronteira Oeste, mas até o momento da postagem não obteve retorno.

Nesta segunda-feira(10), o funcionamento do comércio é baseado, ainda, na bandeira laranja. O novo Decreto passa a valer a partir da próxima terça-feira. Se o Município e região permanecerem na bandeira vermelha, fecha na terça-feira e reabre na quarta-feira de forma restritiva.

O comércio varejista não essencial fica autorizado a abrir, com restrições, de quarta a sábado, das 10h às 16h. Já restaurantes podem funcionar de segunda a sexta, na faixa de horário do almoço.

 


Compartilhe
  • 296
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    296
    Shares