Alegretense monta oficina de bike e café auto sustentável em Santa Cruz do Sul

Rodrigo Bilheri Duarte saiu de Alegrete em maio de 1999, para um show do Metállica, em Porto Alegre, e nunca mais voltou.

Na capital, ficou por um ano e depois se mudou para Santa Cruz para ensinar edição e finalização de vídeo, ofício que trabalha até hoje, animações gráficas, 2D e 3D.  Conta que iniciou duas faculdades mas não terminou nenhuma.


Como todo guri, diz  que sempre gostou de pedalar, mas nunca imaginou que este hobby poderia ser um negócio.
Rodrigo, aos 40 anos, explica que na região vive com a esposa Marília, tem mais de 2.500 ciclistas envolvidos em passeios de final de semana, treinos e competições.


Daí teve aquele insight, montar algo para dar manutenção as bikes. E, assim, em 12 de abril passado, nasceu a Bikecore – oficina e café.

O mais interessante é que o empresário usou um container para montar o seu negócio, o que chama bastante atenção. Partindo do princípio de que a bike é um transporte que não polui, não gera engarrafamento, traz bem-estar e qualidade de vida para quem a usa, ele e sua esposa tiveram a ideia de um bike café com IMPACTO ZERO (na verdade, o mais próximo disso).

E para isso, o alegretense, usa água da chuva para lavar as bikes e, em breve, informa que vai colocar painéis solares  e tornar seu empreendimento auto sustentável, atesta.

Ele lembra que isso gera uma economia em volta da bicicleta que gira em torno de milhares de reais, visto que as bicicletas chegam a pagar até 70% de imposto aqui no Brasil e quem consegue comprar uma bike legal, com peças boas, precisa de manutenção eventualmente, seja periódica, preventiva ou por necessidade, no caso de -quebra de alguma peça.  -Vendo esse nicho, eu resolvi abrir uma oficina especializada em Santa Cruz  para atender o público de alto desempenho, assim como as bicicletas para uso urbano e mais simples, mas não menos importantes
para quem as usa”.


-Achamos a ideia do contêiner excelente por causa do destino dele, que seria o lixo, ferro-velho e dentro dele temos espaço para oficina, que tem todas as ferramentas necessárias para toda e qualquer manutenção que seja necessária.
E junto a cafeteria e uma loja, o diferencial que deixa o cliente ainda mais a vontade enquanto aguarda no balcão sua  magrela  ficar pronta para encarar a trilha no fim de semana.
Ele, ainda passa sua experiência para fazer com que a bicicleta dure mais, auxiliando com dicas e know-how sobre
como não passar marcha numa subida, aliviando o peso da perna, avisando com antecedência a hora correta de troca da corrente, evitando a troca completa da relação, entre outros detalhes relevantes.
O empresário alegretense que está inovando em Santa Cruz diz que tem uma cisterna, de onde recolhe a água da chuva e a utiliza para a lavagem das bikes, dessa forma faz uma grande economia.


Assim como a utilização do que sobra em nossa horta com vegetais orgânicos plantados no pátio do casal.

O casal Rodrigo e Marília diz que está no começo dessa subida, e quem anda de Cross Country vai entender, no início pode ser sofrido, mas quando o corpo acostumar com a puxada e a frequência cardíaca baixar, é só aproveitar a vista lá de cima, porque só quem sobe enxerga o pôr-do-sol mais bonito”

Vera Soares Pedroso.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *