Capitão Nabor Emiliano, eterno apaixonado pelo EB, morreu aos 101 anos

Na noite desta sexta-feira(5), Alegrete se despediu do Capitão Nabor Ribeiro Emiliano, aos seus 101 anos.

Mas ele jamais se despediu do Exército Brasileiro, permaneceu sempre de sentinela no silêncio d´alma, pois não esquecia tantos momentos aqui vividos, os quais o tempo jamais apagou de sua memória.

Capitão Nabor falava que o Exército era a sua segunda família, onde ele encaminhou para a vida os seus seis filhos, netos, bisnetos e tataranetos. E, por 30 anos serviu a Pátria onde foi adido militar, em Alegrete, em outras unidades militares.

Cariucha, mistura de carioca e gaúcha; assim sente-se a alegretense radicada no Rio há mais de 20 anos

Enquanto foi possível, sempre que tinha qualquer solenidade no quartel ele fazia questão de estar presente, tal a gratidão que tinha pelo Exército Brasileiro que chamava de guardião da soberania da Pátria.

Ao completar 100 anos, o Capitão Nabor recebeu uma homenagem, em frente à sua residência, organizada pela Confraria de antigos militares da unidade, o amigo Filipe Oliveira e comando do 6º RCB.

Ele residia com o filho Nabor Junior e sua família. O Capitão Nabor estava internado no HGUA desde a última terça-feira. Ele faleceu de causas naturais em decorrência da idade.

As últimas homenagens serão na Funerária Angelus na rua Daltro Filho, a partir das 9h deste sábado(6). O sepultamento ocorre as 17h no Cemitério Público em Alegrete.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários