Celebridades demonstram descontentamento com o veto da distribuição gratuita de absorventes

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que institui o Programa de Proteção e Promoção da Saúde Mental cujo objetivo é combater a precariedade menstrual, ou seja, a falta de acesso a produtos de higiene e a outros itens necessários ao período de menstruação.

Celebridades demonstram descontentamento com o veto da distribuição gratuita de absorventes
Celebridades demonstram descontentamento com o veto da distribuição gratuita de absorventes


Conforme lei, o poder público fica incumbido de promover campanha informativa sobre a saúde menstrual e as suas consequências para saúde da mulher. Além disso, autoriza os gestores da área da educação a realizar os gastos necessários para o atendimento da medida.

Mas alguns artigos do texto do programa foram vetados pelos presidente. Entre eles, o artigo 1°, que previa a distribuição gratuita de absorventes higiênicos, e o artigo 3°, que estabelecia a lista de beneficiárias. Também, foi vetado o trecho que incluía absorventes nas cestas básicas distribuídas pelo Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

Entre os motivos para vetar alguns artigos do programa, Bolsonaro alegou que o projeto aprovado pelo Congresso não previu fonte de custeio para essas medidas e, em relação ao SUS, argumentou que absorventes não constam na lista de medicamentos considerados essenciais (a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais).

Após o veto do presidente Jair Bolsonaro no que se refere ao artigo que previa distribuição de absorventes higiênicos gratuitamente, algumas celebridades usaram as redes sociais para lamentar a decisão. A apresentadora Angélica, no seu Instagram, compartilhou um post sobre o assunto e escreveu na legenda: “Não é possível”. Além disso, ela utilizou as hashtags: Pobreza Menstrual e Livre para Menstruar.

Quem também se manifestou na web foi a atriz Camilla Camargo. Ela escreveu que essa medida é mais um desserviço à população carente e reiterou que conhece adolescentes que não foram à escola por medo de manchar a roupa na frente dos colegas por não ter um absorvente.
A atriz Giuliana Buscacio e a apresentadora Rafa Brites também usaram as redes sociais para mostrarem o seu descontentamento. A atriz comentou uma publicação e chamou Bolsonaro de “Monstro”, enquanto a apresentadora desabafou ao postar um vídeo no Instagram.

Na gravação, Rafa demonstrou estar bem insatisfeita, afirmando que uma a cada quatro meninas já deixaram de ir à a escola porque não possuíam absorvente. Dessa forma, ela destaca que, por não terem esse item, as meninas colocam miolo de pão e jornal, o que pode acarretar em infecções.

Por João Baptista Fávero Marques

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários