Ciclista passa por Alegrete com projeto “Recorrendo o Rio Grande”, e elogia hospitalidade
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Matias Correa dos Santos, aos 63 anos exibe uma disposição de guri. Há 11 dias ele iniciou outra jornada em mais um passeio ciclístico. Depois de pedalar 2.812 km de Campinas ao Uruguai, passando o Chuí, de 17 de janeiro de 2020 a 12 de março, agora está desbravando o Rio Grande do Sul.

O ciclista chegou em Alegrete no final da tarde da última quinta-feira (1º), recepcionado por um grupo de ciclista do Trilha Aventura, Matias foi conduzido até o Hotel São Jorge do empresário Otávio que acolheu o ciclo-viajante. Ele foi convidado para um jantar de boas vindas, organizado pelos ciclistas locais e permaneceu na cidade na Sexta-Feira Santa.

Conheceu a região do Caverá com os ciclistas locais e no final da tarde de sexta recebeu a reportagem do Portal Alegrete Tudo. Matias já estava arrumando as bagagens para chegar a Fronteira. Solicito, o ciclista contou sua história em meio a um cafezinho oferecido pela recepcionista do hotel.

De capacete, uma camisa com o trajeto da Estrada Real, uma das provas que participa e uma bermuda de ciclista, ele foi logo falando. -Meu objetivo não é ficar famosinho – brincou Matias.

Empresário aposentado, administrador de empresas por 20 anos, Matias agora presta consultoria de imobiliárias e com a pandemia resolveu por em prática o projeto de 2020 “Percorrendo o Rio Grande”. Natural de Caará, cidadezinha emancipada de Santo Antônio da Patrulha, o gaúcho foi para Campinas e lá se apaixonou na vida e pela bicicleta. Matias tem uma filha que mora na cidade paulista e lá o ciclismo é muito praticado.

 

Em sua primeira viagem, entregou seu apartamento que alugava e doou seus móveis e pegou a estrada. “Foi uma mudança drástica de vida, o momento da vida que resolvi fazer aquilo que havia planejado”, conta.

Matias dessa vez largou de Pelotas no dia 25 de março, depois de passar por exames médicos, 5 kg mais magro e um recall na bike, pegou a estrada desde o Litoral Sul. “Pelotas – Pampa – Tríplice Fronteira”, mais 2.200 km. Depois de Uruguaiana vai para São Borja, Missões, Noroeste subindo a Serra, Passo Fundo, Região Vinícola de Bento Gonçalves e chega em Novo Hamburgo.

Matias é simples, disse que contempla os lugares, faz fotos da flora e fauna e aprecia a culinária e linguajar das diversas comunidades por onde passa. Em seu Instagram @matiascicloturismo é possível acompanhar sua jornada quase que em tempo real. É lá que ele posta momentos da viagem.

Em Alegrete, fez um vídeo em frente a Prefeitura, agradeceu pela recepção e elogiou a hospitalidade. Desde Pelotas, tem sido assim, mas ele conta que Alegrete não fugiu a regra. “Fui muito bem acolhido, me senti em casa. E desta terra levarei encantamento”, destacou o ciclista.

Matias fez questão de agradecer o empenho de grupos de ciclistas da região. Desde Bagé ele vem sendo recepcionado graças a comunicação, ciclistas vão avisando os das cidades vizinha. De Bagé entrou em contato com ciclistas de Dom Pedrito e de Alegrete que avisaram os de Rosário do Sul, e daqui Uruguaiana.

Também é possível conhecer o projeto pelo Facebook do ciclista – Matias Santos – lá ele posta os mapas diários das pedaladas. “Meu objetivo é vivenciar a cultura de cada região, divulgar o mapa e compartilhar com quem se identifica pelo cicloturismo”, explica.

O ciclista não tem patrocínio faz questão de esclarecer. “Meu patrocínio é a paixão pelo ciclismo”, rebate Matias. Ele diz que fez umas economias que possibilitam pagar um hotel bom e barato para descansar se alimentar e pegar a estrada.

No sábado (3), ele pegou a estrada pouco antes das 8h, teve a companhia do ciclista alegretense Elder Von End, viajante também, Elder fez questão de levar o amigo até a Fronteira. “Pessoa diferenciada, Matias ganhou meu apreço e justo levar o amigo até lá.

Fomos conversando e chegamos lá em pouco mais de 7 horas de pedalada”, conta Von End, que retornou de carro para Alegrete.

Por telefone, Matias concluiu a reportagem. “Estou bem, vou me hidratar e descansar o corpo por dois dias e sigo viagem”, disse.

O ciclista retorna para Campinas na casa da filha assim que chegar na região metropolitana de Porto Alegre, e em junho participa do Circuito Ciclístico de Santa Catarina. Indagado sobre o próximo projeto, Matias desconversa e fala em escrever um livro dessas aventuras.

Júlio Cesar Santos                                                             Fotos: acervo pessoal


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •