Defesa Civil alerta sobre chuvas intensas com precipitação de até 150mm

Um novo alerta de chuvas intensas foi emitido pela Defesa Civil na terça-feira (21), com atenção especial para a Metade Sul do Estado. O comunicado adverte sobre riscos de chuvas entre 120 mm e 150 mm nos próximos dois dias.

O alerta de áreas de risco meteorológico inclui os rios Quaraí e Ibirapuitã, que também podem trazer muitos problemas para as comunidades em toda a Fronteira Oeste e no Sul. Nesses locais, as pessoas, especialmente as ribeirinhas ou que vivem em áreas de risco, precisam estar atentas e devem ser deslocadas pelas prefeituras para evitar perdas de vida e outros transtornos”, explica o governador Eduardo Leite.

Alegretense, longe há 35 anos, carrega muito vivas as imagens da sua terra

A Sala de Situação do RS atualiza a previsão da condição meteorológica para os próximos dias. Nesta quarta-feira (22), estão previstas chuvas e ventos pontualmente fortes acompanhados de descargas elétricas e eventual queda de granizo sobre o Oeste, Campanha, Missões, Centro e Sul.

As chuvas serão mais intensas no Oeste, Campanha e Sul gaúcho, trazendo acumulados entre 80 e 130 mm/dia. Os ventos sopram de norte/noroeste, em torno dos 40 a 60 km/h, em áreas da metade Norte e Oeste gaúcho.

Na quinta-feira (23), os temporais isolados se espalham sobre o RS, com acumulados variando entre 30 a 80 mm/dia, passando dos 100 mm/dia em pontos do Centro, Missões e Noroeste gaúcho. Além disso, os ventos de sul/sudeste ganham força na metade Sul, com rajadas passando dos 60 km/h, deixando o mar agitado e com risco de ressaca.

Na sexta-feira (24), o tempo permanece instável sobre o estado, com chuvas moderadas a fortes na Costa Doce, RMPOA, Norte, Serra e Litoral Norte, trazendo volumes entre 30 e 45 mm/dia, devido a um ciclone que estará atuando sobre o oceano. Os ventos sopram constantes de sudoeste/sul sobre todas as regiões, com velocidade em torno dos 50 a 70 km/h, especialmente na faixa Leste e Litoral, onde pontualmente pode chegar aos 80 km/h, favorecendo a ressaca.

Morre, vítima de câncer, sargento da reserva da Brigada Militar de Alegrete

A tendência é que, na madrugada do sábado (25), ainda ocorram chuviscos na faixa Leste e Serra gaúcha, mas, ao longo do dia, o tempo firme volta a predominar e o mar permanece agitado.

Ao final deste aviso, os acumulados poderão variar entre 80 e 130 mm sobre as regiões Oeste, Campanha, Sul, Costa Doce, Vale do Rio Pardo, Centro e Noroeste, podendo passar pontualmente dos 150 mm no Oeste, Campanha e Sul do Estado.

A Defesa Civil orienta que a população não retorne para áreas alagadas ou inundadas. Também recomenda atenção para quem mora em áreas de encosta ou declive acentuado em razão do risco de deslizamentos de terra. Procure informações de prevenção junto à prefeitura da sua cidade.

“Nos próximos dias, a gente vê um quadro com uma oscilação atingindo sempre níveis máximos, com estuário cheio, acima da média normal, mantendo áreas inundadas permanentemente, como em São José do Norte”, afirma Glauber Acunha Gonçalves, integrante do Centro de Ciências Computacionais da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Ele explica que o sistema será sobrecarregado com a chegada das massas d’água que elevaram o Guaíba, com elevação considerável até quarta (22/5).

Após cheia do Ibicuí, balsa do Mariano Pinto volta a realizar travessia

Gonçalves faz parte de uma equipe que gerou um modelo da dinâmica das águas da Lagoa dos Patos até 31 de maio. O trabalho foi realizado em esforço conjunto com o Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e o Corpo de Bombeiros de São José do Norte.

O hidrólogo da Sala de Situação do Rio Grande do Sul, Pedro Camargo, concorda com a previsão da FURG, frisando que é uma estimativa. “Com eventos anteriores e históricos, tínhamos uma estimativa de sete dias entre o pico no Guaíba e o pico na Lagoa dos Patos. Porém, com o repique de cheia, os sete dias seguiriam o pico do repique, porque a água se desloca mais lentamente na bacia da Lagoa, não segue a mesma velocidade no Guaíba”, explica.

Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários