É a partir desta semana até o final de março o período mais grave da Covid,  preveem os especialistas
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Perto de completar um ano do primeiro caso de coronavírus, o Rio Grande do Sul vive o pior momento da pandemia.

Algumas ruas fechadas(Praça Getúlio Vargas e Parque Rui Ramos), reforço no policiamento e algumas outras ações que foram realizadas para evitar aglomerações.A Brigada Militar já havia feito reunião com Consulado e um integrante da torcida Guarda Popular para solicitar a colaboração dos torcedores. Porém, sem a conquista do Tetra pelo Inter neste domingo(21), a cidade ficou por algum período sem movimento nas ruas centrais. A não conquista do título, ontem, evitou carreatas, mas não evitou que a população fosse para Praças e Parques. Embora a situação atual da saúde pública seja uma das mais graves desde o início da pandemia, algumas pessoas continuam agindo como se a pandemia tivesse acabado. No Parque Rui Ramos, famílias, crianças na Pracinha e a falta da máscara. Isso é comum ver entre as rodas de chimarrão em locais públicos ou em outros locais onde a conversa com amigos, em muitos casos, é como se a pandemia tivesse acabado. O quadro atual, é crítico e mostra muitos hospitais ou Municípios anunciando um possível colapso na rede de saúde. O temor de uma avalanche de pessoas e de aglomerações se tivesse ocorrido a vitória do Internacional, preocupou os órgãos de segurança e saúde, entretanto, não impediu que um número considerável, mesmo com todos esses alertas promovesse junções.

Pelo que os especialistas afirmam, a partir desta semana, os próximos 30 dias serão difíceis, de muita dor, de muitas perdas e só há uma medida para tentar diminuir tudo isso, realizar de forma séria e muito cuidadosa o isolamento social. Portanto, eles solicitam que haja conversa entre amigos e familiares e não ocorram visitas. O contágio é gigantesco e pode vir no ar, tosse, espirro, solas de sapatos, sacolas de supermercados, embalagens entre outros.

Por mais que o Decreto estadual estabeleça um horário mais rígido do fechamento dos estabelecimentos comerciais à noite, a situação não vai ter grande impacto pois horas antes o que se vê se são aglomerações em vários outros locais. A medida e a súplica neste período é de que haja conscientização da população para auxiliar o Governo, os Municípios e a rede de saúde para que o impacto seja menos doloroso para todos. Com novas variantes, o vírus está ainda mais contagioso, afirmam especialistas.

De acordo com o Governador Eduardo Leite, o monitoramento de dados em tempo real e as projeções realizadas pelo governo com a colaboração de pesquisadores e especialistas mostram que “o quadro é extremamente delicado e crítico”, o que levou à aplicação de medidas mais severas.

A Brigada Militar realizou Blitzes em vários pontos da cidade. As guarnições estão auxiliando os fiscais da Prefeitura desde o início da fiscalização, para o cumprimento dos Decretos. Quem não respeita as medidas, como estabelecimentos ou pessoas, que são identificados, são autuados.

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •