Em tempos de Black Friday aumentam os golpes e fraudes online

Durante a Black Friday no Brasil, a quantidade de reclamações e golpes online vem aumentando significativamente. A Black Friday é, infelizmente, uma excelente oportunidade para os criminosos da era digital atuarem e obterem sucesso em seus ataques. Os consumidores devem redobrar a atenção nessas datas especiais.

Os cibercriminosos utilizam-se principalmente de engenharia social (algo muito comum em sites de e-commerce), através de anúncios falsos, réplica (ou falsificação) de sites conhecidos (exemplos: uma cópia idêntica do site do Mercado Livre, uma cópia do site da Adidas do Brasil) e anúncios para esses sites falsos em redes sociais (exemplos: WhatsApp, Facebook), SMS e outros meios de comunicação. 

A seguir, serão apresentadas algumas dicas que podem contribuir significativamente para que sua Black Friday não se transforme em uma “Black Fraude”.

Dica 1) Fique atento à reputação das lojas e sites de comércio eletrônico. Utilize sites como o ReclameAqui (https://www.reclameaqui.com.br) para consultar a reputação da loja ou do site que você pretende fazer compras. Lojas e sites com uma boa reputação tendem a ser uma melhor opção na hora de realizar as suas compras. Em sites de comércio eletrônico como o Mercado Livre (www.mercadolivre.com.br), observe atentamente a reputação e o histórico do vendedor. Coisas simples a observar: (a) Quanto tempo o vendedor comercializa produtos no site? (b) Quantas vendas, avaliadas positivamente pelos compradores, o vendedor fez nos últimos meses? (c) Qual a reputação geral do vendedor? (d) A compra é garantida pelo site?

Dica 2) Observe os detalhes de segurança eletrônica (exemplo: uso de HTTPS) do site. Confira se o site de e-commerce que você está acessando possui o cadeado verde (ou fechado) no navegador. Se o cadeado estiver fechado, mas não for verde, clique no cadeado para verificar os detalhes, como no exemplo a seguir.

O cadeado verde (ou fechado) é um bom indicativo que as informações trocadas entre o navegador e o site estão seguras. Na ausência do cadeado, ou se este estiver vermelho (ou aberto), cancele o acesso ao site, pois há uma alta probabilidade de algo estar errado. 

Dica 3) Observe com atenção se você está acessando o site correto. Tenha sempre em mente que os cibercriminosos são habilidosos e irão tentar te enganar a qualquer custo. Verifique sempre, com muita atenção, o endereço eletrônico (URL) que você está acessando (exemplo: www.mercadolivre.com.br) para certificar-se que não é um site falso, uma cópia, como (hipoteticamente, mas tecnicamente factível)  (http://www.mercadollivre.com.br). Vejam que, neste caso, o criminoso digital pode registrar um domínio muito similar ao do Mercado Livre, acrescentando apenas a letra “l” entre “mercado” e “livre”. Recentemente, circulou pela Internet uma promoção falsa da marca Adidas, onde anunciaram que a loja estaria distribuindo itens gratuitos pelo seu aniversário de 95 anos. O link da promoção era (https://adidas-br.com), porém, o site oficial da loja é (https://adidas.com.br). No fervor da Black Friday,  não deixe de observar esses detalhes muito importantes.

Dica 4) Verifique se o site possui certificações de segurança. As certificações de segurança dão maior credibilidade ao site e permitem uma compra mais tranquila. Geralmente, elas aparecem na parte inferior da página inicial do site, no formato apresentado a seguir. 

Ao clicar na imagem da certificadora (exemplos: Google Site Seguro, Site Blindado e Sectigo), você será redirecionado à página da certificadora onde é apresentada uma visão geral de como o site que você está acessando  garante a segurança da conexão. Caso isto não ocorra, suspeite, pois pode ser propaganda enganosa do site ou fraude. 

Dica 5) Utilize cartões de crédito virtuais. A maioria das instituições financeiras, como Banco do Brasil, Santander, Itaú, Nubank, entre outros, já oferecem o serviço de cartões de crédito virtuais, através dos aplicativos nos smartphones ou do Internet banking. Os cartões virtuais servem essencialmente para compras na Internet, como o próprio nome sugere, e estão vinculados ao cartão de crédito físico do cliente do banco. Diferentemente do cartão físico, o virtual funciona para uma ou para um número pré-definido e limitado de compras. Normalmente, o prazo de validade também é curto e pode ser definido pelo usuário.

Dica 6) Evite clicar em anúncios recebidos por email, SMS ou redes sociais (exemplo: WhatsApp e Facebook). A maioria das fraudes online ocorrem através de anúncios enviados por email, SMS ou redes sociais. Não clique e não confie nesses anúncios. Se quiseres realmente acessar e verificar o anúncio, acesse manualmente o site online da loja e, então, confira a veracidade do anúncio.

Dica 7) Veja se não estão cobrando a mais pelo fato de te conhecer. Muitos sites de comércio online utilizam inteligência artificial para aprender sobre os hábitos e traçar o perfil de seus clientes. Por exemplo, se você for uma pessoa que acessa o site de um e-commerce e compra produtos sem pesquisar muito, ou acessa várias vezes o mesmo produto (o que indica um alto grau de interesse no produto), o site (a empresa) pode usar isso contra você e aumentar ligeiramente os preços dos produtos de seu interesse. Para verificar se isto está (ou não) ocorrendo, você pode utilizar janelas anônimas (no Google Chrome) ou privadas (no Mozilla Firefox e no Safari). Essas janelas dos navegadores bloqueiam o rastreamento e a coleta de informações suas. Com isso, você consegue comparar se o preço que está sendo normalmente apresentado para você é o mesmo preço para outro usuário qualquer, cujo perfil ainda não é conhecido pelo site de comércio eletrônico.

Dica 8) Fique atento às promoções falsas ou maquiadas. Na Black Friday é comum nos depararmos com descontos de 50%, 60% e até 70%; ou promoções do tipo “De R$ 1.000,00 por R$ 500,00”. Entretanto, será que o preço realmente era este antes (exemplo: R$ 1.000,00) da Black Friday? É comum lojistas, dias antes da Black Friday, aumentarem os preços de seus produtos para, então, baixar seus preços e simular promoções. É recomendado comparar o histórico de preços em sites como Buscapé (https://www.buscape.com.br) ou Zoom (https://www.zoom.com.br). 

Dica 9) Preços que mudam ao confirmar a compra. Fique atento ao preço dos produtos que mudam na confirmação da compra. Infelizmente, já é uma praxe alguns sites aumentarem o preço no instante da compra ou omitirem o valor do frete. Aliás, fique atento também ao valor do frete. Pode ocorrer que o valor do frete seja maior do que o preço do produto. 

Dica 10) Frete e rastreamento de entregas. Verifique sempre o valor do frete. Veja se está disponível para a sua região e se a loja que você está comprando possui rastreamento de entregas.

Dica 11) Denuncie fraudes (comprovadas) ou suspeitas (fortes) de fraude! A denúncia é fundamental. Sem denúncia, dificilmente iremos construir uma sociedade melhor, mais confiável e com menos fraudes. Cada cidadão precisa fazer a sua parte. Há diferentes formas de denunciar. Você pode analisar tecnicamente o site ou loja e encaminhar uma denúncia online, documentada, para o CERT.br ([email protected]) ou o Centro de Monitoramento do Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da Polícia Federal ([email protected]). Se você foi alvo de uma fraude, denuncie também nos órgãos de proteção do consumidor, como Consumidor.gov.br (https://www.consumidor.gov.br/) e ReclameAqui (https://www.reclameaqui.com.br/).

 

 

Autores: Daniel Temp, Rumenigue Hohemberger, Pablo Brauner Viegas, Maurício Fiorenza, Giulliano Paz, Rafael Duarte Beltran, Diego Kreutz 

Compartilhe
  • 42
  •  
  •  
  •  
  •  
    42
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *