‘Era bem família’, diz amigo de estudante morto em naufrágio no Rio Uruguai

Andrei Franchini, 19 anos, morava em Bom Plano, a 5 km de Vista Gaúcha, no Norte do RS. Jovem estudava agronomia para ajudar o pai agricultor a cuidar do campo.

O corpo de Andrei Franchini, 19 anos, foi encontrado na manhã deste sábado (9), pelo Corpo de Bombeiros de Itapiranga. Ele foi a única vítima no naufrágio de um barco que virou enquanto fazia a travessia do Rio Uruguai para levar 14 estudantes da Barra do Guarita, no Rio Grande do Sul, para Itapiranga, em Santa Catarina.

Amigo de infância do jovem, Gabriel Mantelli Ferrari, também de 19 anos, relata que a família está muito abalada desde a noite do acidente.

“Era bem família, apegado aos pais. Queria continuar em Bom Plano e cuidar das terras. Falava bastante sobre isso”, diz Gabriel.

“Um cara alegre, divertido, uma pessoa que todo mundo gostava. Não tinha inimigos, [era] trabalhador, honesto”, completa.

Ele confirma que o estudante não sabia nadar e estava sem colete salva-vidas quando caiu no rio. Segundo Gabriel, a travessia é feita por lancha, balsa ou barcos. Por demorar metade do tempo dos demais meios, muitos estudantes preferem pagar R$ 2 para cruzar o cerca de 1km de distância entre os lados gaúcho e catarinense em pequenas embarcações.

“Estudei um semestre lá, antes de trocar de universidade. [A viagem] Era algo tranquilo, seguro. Nunca ocorreu uma tragédia dessas antes. Desde que fundaram as cidades, tem essa travessia. Não existem pontes.”

Jovem de 19 anos foi encontrado neste sábado (9) — Foto: Bombeiros de Itapiranga / Divulgação

Jovem de 19 anos foi encontrado neste sábado (9) — Foto: Bombeiros de Itapiranga / Divulgação

Andrei nasceu em Tenente Portela, mas morou a vida toda em Bom Plano, uma vila a 5 km de Vista Gaúcha, no Norte do Rio Grande do Sul. Filho único, morava com os pais, e ia todos os dias da semana de moto até Barra do Guarita, onde atravessava o rio para estudar Agronomia na Unidade Central de Educação Faem Faculdade (UCEFF) de Itapiranga.

O corpo passará por necropsia em Três Passos para determinar a causa da morte. O sepultamento deve acontecer em Vista Gaúcha.

Local onde a embarcação virou. — Foto: Juliane Monteiro/ G1

Local onde a embarcação virou. — Foto: Juliane Monteiro/ G1

O acidente

A travessia entre uma margem e outra do Rio Uruguai tem cerca de 600 metros de distância. Segundo Jardel Tamiozzo, que estava no barco, praticamente na metade do rio começou a entrar água pela frente do barco, vindo a encher pela frente até ir para trás, afundar e virar.

“O rio estava dois metros acima do nível, estava correnteza forte, com bastante ondulações na água”, conta.

Bombeiros buscam jovem de 19 anos desaparecidos após embarcação virar em Barra do Guarita — Foto: Bombeiros / Divulgação

Bombeiros buscam jovem de 19 anos desaparecidos após embarcação virar em Barra do Guarita — Foto: Bombeiros / Divulgação

As buscas

Equipes do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar, bombeiros voluntários e da Marinha do Brasil fizeram as buscas. Mergulhadores e até uma aeronave colaboraram.

O trabalho foi realizado com a ajuda de seis embarcações, que fizeram uma varredura no rio, enquanto cerca de 25 pessoas, do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, davam apoio em terra.

Na quinta, foi solicitado à Usina da Foz do Rio Chapecó, em São Carlos, distante 100 km do local do acidente, para fechar as comportas.

Com a redução do nível do rio, foi possível localizar o barco, na tarde desta sexta, e, nesta manhã, o corpo de Andrei.

Fonte: G1

Compartilhe
  • 74
  •  
  •  
  •  
  •  
    74
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *