Família que vive em pobreza extrema e ambiente degradante precisa de ajuda

Nesta semana a reportagem do PAT foi chamada pelos moradores de uma residência na rua Demétrio Ribeiro,861.

A família vive em um local sem a menor condição de moradia. A reportagem do PAT entrou na casa para mostrar a situação de quem, ainda, não tem um local digno para morar. A situação é muito delicada.

Jeferson Luiz Rodrigues Oliveira, 50 anos, mora com dois filhos e 10 gatos em uma casa, com paredes de madeira, a maior parte compensados, sem nenhuma condição de higiene. O local com duas peças, uma delas é sala, cozinha e quarto de um dos filhos de 25 anos, Rogério Oliveira. Já a outra, é um quarto com uma cama onde Jeferson dorme com o filho de 26 anos, Jeferson Oliveira é especial. De acordo com o morador, o filho tem um problema neurológico, mas não faz tratamento, porém, é dependente e precisa ser auxiliado para fazer todas as necessidades básicas, banho e alimentação. Nos fundos, uma peça que tem como uma das paredes, um lençol velho rasgado, e o banheiro com apenas um vaso sanitário, sem chuveiro. O banho é com auxílio de bacias.

No inverno, Rogério disse que é uma tortura ir ao banheiro, eles quase congelam, mas sem outra opção, precisam “encarar”. Logo na entrada da porta, alguns televisores que eles ganharam, mas que a maioria já não tem utilidade, pois queimaram em dias chuvosos devido as goteiras. Com o teto de zinco e muito baixo, pouco mais de dois metros, a família acrescenta que não sabe o que é pior, o verão ou o inverno. Os buracos no zinco, em dias de chuva deixam a situação ainda mais degradante. Os baldes e bacias não dão vencimento.

Desta vez, eles têm apenas um ventilador pequeno que funciona quando quer. O chão não tem piso, e as frestas são consideráveis. Rogério disse que o sustento é através do benefício do irmão mais velho, o pai tem problemas de saúde e não esta trabalhando, ele faz bicos, mas são esporádicos devido a falta de oportunidade. A Secretaria de Assistente Social já foi ao local, mas por ser um terreno da família, eles não aceitaram sair. “Gostaríamos de ajuda para que pudéssemos reformar a casa, além de móveis, roupas. Tudo está muito velho e cada vez fica pior. Se alguém puder auxiliar, não só com a casa mas também com os gatos, tem dias que eu saio pedir comida para alimentá-los, não posso deixa-los morrer de fome, mas é complicado. Precisamos economizar para ter a nossa alimentação. Gostaria de entregar para adoção responsável, pois não tenho coragem de colocá-los na rua. ” comentou.

A família está vivendo numa situação de pobreza absoluta e a casa é um cenário deprimente. Se alguém puder ajudar, entre em contato através do telefone 55 991355763.

Flaviane Antolini Favero

Fotos: Flaviane Antolini Favero

Compartilhe
  • 1.1K
  •  
  •  
  •  
  •  
    1.1K
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *