Fenovinos em Alegrete foi um marco nos 34 anos de história da feira

A Feira Nacional Rotativa de Ovinos (Fenovinos) de 2022 pode ser considerada um marco nas 34 edições de história do evento. O Município assumiu a exposição há 58 dias de sua realização.  

Alegrete pode ser considerada um marco na história da Fenovinos
Alegrete pode ser considerada um marco na história da Fenovinos

“Alegrete realizou uma feira realmente com porte nacional. Foi um evento de grande sucesso, com excelente estrutura, organização, oportunidades de negócios e público. A cidade está muito bem preparada para receber eventos deste tipo”, disse Edemundo Gressler, presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos – ARCO.

Em quatro dias de programação intensa, com atividades para todos os públicos, a ovinocultura foi colocada em destaque num dos mais importantes eventos do calendário do agronegócio no Estado. A 34ª edição da Fenovinos, que voltou a Alegrete, encerrou confirmando as expectativas da organização. Foram R$ 680 mil em remates, sendo que o remate da Estância Silêncio de Santana do Livramento ofertou 200 fêmeas Poll Dorset, movimentando R$ 525 mil.

Do dia 8 de junho até o domingo, dia 12, o Parque de Exposições Lauro Dornelles recebeu intensa movimentação de público, atraídos pela agenda diversa do evento. Na programação, constaram desde os julgamentos, leilão e atividades técnicas sobre a produção até exposição e comercialização de artigos em lã, artesanato, esquila e oficinas de cortes, degustações e culinárias como o Churrascão Ovino.

O presidente do Sindicato Rural, Luiz Plastina Gomes, recebeu inúmeros elogios à sua gestão e organização da feira. Ele, que concorrerá à reeleição, avaliou como um grande acerto aceitar o desafio de realizar uma Fenovinos em tão pouco tempo. “A ovinocultura precisa dar um salto. Se queremos crescimento do rebanho, a seleção genética e incentivar o aumento da produção, precisamos de eventos deste porte”, analisa.

Descarte irregular de lixo coloca em risco o trabalho de garis

Gomes defende ainda que para essa mudança no perfil de produção é necessário que os criadores busquem mais conhecimentos sobre o setor. E esse foi um diferencial da 34ª Fenovinos. “Com o evento de Alegrete, a região plantou uma semente da ovinocultura no estado e no Brasil. A partir de agora, basta cuidar, ir trabalhando para que o setor progrida cada vez mais”, cometa o presidente.

A coordenadora desta Fenovinos pelo Sindicato Rural de Alegrete, Marhta Louzada destacou o desafio e a enorme responsabilidade em pactuar com a ARCO e com o setor produtivo de ovinos uma feira com a importância que tem a Fenovinos a apenas 58 dias de sua realização, “ o nome disto é ousadia, superação e trabalho. São as palavras que encontramos agora para denominar o trabalho do presidente Luiz Plastina Gomes para realizar a 34ª Fenovinos”, completa Martha.

Izadora Fagundes, de 9 anos, é campeã gaúcha na categoria de rédeas do FECARS

Inscrições recordes

Alegrete teve a  participação de 555 ovinos a prêmio, sendo 432 de galpão e 37 trios de rústicos das raças – Merino Australiano, Ideal, Corriedale, Romney Marsh, Hampshire Down, Texel, Ile de France, Suffolk, Poll Dorset, Border Leicester, Dorper, Crioula e as variedades Naturalmente Coloridas.

A quantidade de animais foi 50% superior à edição passada e o maior número de animais de todas as edições da Fenovinos. Além do grande número de exemplares a prêmio, a feira já teve uma expressiva quantidade de animais a venda entre remate de raças e rebanho geral, o que deu a esta edição o título de maior Fenovinos do Rio Grande do Sul.

A 34ª Fenovinos foi uma realização do Sindicato Rural, junto à ARCO, com apoio do Sebrae-RS. O evento teve o patrocínio do Sebrae, Senar-RS/Farsul, Sicredi e Prefeitura de Alegrete.  Em 2023, a Fenovinos será realizada em Uruguaiana (RS). 

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários