Flagrante de crueldade contra animais revela o lado sombrio dos “humanos”

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A tragédia em que o mundo vive diante de uma pandemia que amedronta e mata, também existe muitos dramas agregados.

Em alguns, talvez possa- se perceber a face mais sombria e cruel de algumas pessoas.

Os protagonistas desta narrativa são os animais de estimação, que muitas vezes são abandonados à própria sorte.

Uma dessas cenas foi presenciada pelos Guardas Municipais e Brigada Militar na manhã da última segunda-feira (12), no Arroio Regalado, em Alegrete.

Durante a desocupação de uma área, os guardas municipais se deparam com uma bolsa de viagem em um lixão. O que chamou atenção foram os sinais de que ali poderia existir vida, havia um pedido de socorro. Eram quatro cachorrinhos que estavam quase sufocados dentro da sacola.

No dia do Protetor dos Animais, São Francisco de Assis, relatos de amor à causa animal

Os animais estavam abandonados de forma cruel, como se tivessem sido sacrificados, pois iriam sufocar e morrer.

Que seres pode-se dizer que ainda são humanos, mas capazes de um ato absurdo com animais totalmente indefesos.

Esses cães que foram resgatados, alimentados, avaliados por um médico veterinário, podem fazer a diferença na vida de muitas pessoas neste momento de isolamento social. É justamente a companhia amorosa desses mascotes de estimação uma das receitas mais valiosas contra muitos males, inclusive a solidão.

Essa crueldade com esses animais demonstra o desamor da raça humana para com os animais.