Funcionária de loja denuncia proprietário de assédio sexual
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Jovem, de 23 anos, acusou empresário de assédio sexual, em Alegrete.

A vítima realizou um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia e disse que vai processar o acusado. Segundo B.O, ela informou que começou a trabalhar em uma empresa como atendente/vendedora, na região Central. Porém, o contratante não assinou sua carteira de trabalho e passou a importuná-la com conversas que não eram relacionadas ao trabalho e também passou a solicitar que a funcionária ficasse alguns minutos a mais depois do expediente. Durantes as conversas, pois foram vários dias, ele teria passado a fazer perguntas relacionadas à vida íntima da jovem. Questionando se ela não sentia falta de namorar e também perguntas e insinuações quanto à sexualidade da funcionária. Dentre as perguntas estariam algumas como: tu sofreu alguma desilusão amorosa para preferir ser lésbica? Tu não tem vontade de sentir prazer?

Essas situações estavam deixando a jovem muito constrangida quando, no último dia 17 o empresário fechou a loja e ofereceu carona a todas as funcionárias. A vítima foi a última a ser deixada em casa e, no trajeto, o homem teria colocado a mão em seu joelho, momento em que a funcionária solicitou que ele não a tocasse. Na Delegacia, a jovem disse que não possui testemunhas, mas tem um áudio do acusado no momento que pede desculpas pelo ocorrido, mas por esses motivos ela foi demitida. A alegretense se sentiu humilhada e está determinada a processar o acusado.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •