Gui Mendes, o alegretense que fez da música seu estilo de vida

O alegretense Guilherme Mendes é daquelas pessoas que sempre tem um sorriso no rosto e uma palavra de carinho para oferecer.

Aos 32 anos, colhe frutos de uma trajetória musical que o acompanha desde guri. Ele iniciou na música aos 13 anos, influenciado pelos pais. Filho do casal Nelson Teixeira Mendes Filho e Marlene Noetzold Mendes, recebeu um convite, para tocar violão, de dois grandes amigos, João Maria Mendonça e Thiago Tagliapietra. Amigos que praticavam tênis com Guilherme, na época, a modalidade era xodó em Alegrete.

Já são 19 anos de carreira. Nesse período, adotou o nome artístico de Gui Mendes, trocou de cidade e vive um bom momento em sua trajetória. Recentemente, o cantor alegretense, lançou o hit “Bugou” que já está estourado em visualizações no Youtube.

Gui tem alegria em contar de trabalhos que trouxeram muitos resultados, acabaram em grandes conquistas pessoais e consolidaram a sua evolução profissional. São muitas histórias e momentos que merecem um livro, descreveu.

Ele relembrou a  primeira banda, a Meia-noite e 1, onde cinco amigos tocavam rock de terno e gravata.
A tour Pentagrama “Duelo de Gigantes”, possibilitou conhecer o RS, fazendo shows com participações especiais de artistas consagrados no cenário musical como: Serginho Moah; Marcio Petracco e Gomes da banda TNT; Carlinhos Carneiro da banda Bidê ou Balde e Ico Thomaz que, à época, era o apresentador do programa Patrola da RBS TV.


Um outro projeto que, também, foi muito marcante na carreira do alegretense foi o momento em que apostou na carreira solo. Nesta etapa, incorporou o nome artístico de Gui Mendes e assumiu o vocal.

Em 2013 o single “Ao Pôr do Sol” foi finalista no concurso Minha banda na TV, no programa Tele Domingo da RBS TV. Com 102 mil votos do público foi a música mais votada do concurso.


Após o lançamento do single, Gui, emplacou o CD Amor e Sorte que abriga 12 músicas autorais. O trabalho revela a alma e talento do artista. De 2014 a 2018, foram mais singles acompanhados de videoclipes das músicas Rockstar, Louca Vontade, Eu Prometo, Flor do Verão.

No ano de passado, Mendes buscou novas sonoridades, escutou novos artistas e procurou entender o mercado da música que, segundo ele, a cada ano está em constante renovação.
Foi numa dessas oportunidades que o alegretense conheceu um dos maiores produtores do Brasil, Rick Bonadio, produtor que lançou Mamonas Assassinas, CPM 22, Vitor kley, Kell Smith e outros vários grandes nomes da música brasileira.


Em uma bela tarde em São Paulo, Gui ficou frente a frente com o produtor no estúdio da gravadora Midas na Terra da Garoa. “Foi uma grande oportunidade de me redescobrir musicalmente e trazer novas possibilidades sonoras para dentro do meu trabalho”, comentou.
O encontro não poderia ser melhor, nascia mais um single de peso, a música “Bugou”. O sucesso que chegou em 2020 no Spotify e YouTube, já supera recordes em visualizações e promete ainda mais.

 

 


Há dois anos morando em Santa Maria, Gui, possui um estúdio e se divide numa agenda lotada. São em média 14 shows por mês. O músico e colorado fanático, conta com apoio da namorada Shauanni de Oliveira, os irmãos Vinícius Noetzold Mendes e Laurence Noetzold Mendes, assim como os pais. Eles formam o fã clube número 1.


Dentre todo o relato, ele fala sobre um fato que marcou sua vida no ano 2012, na época, trabalhava em uma loja de instrumentos musicais. Em setembro daquele ano, Gui, apresentou problemas de saúde e, no início de 2013, teve de ser internado em Porto Alegre no Hospital Dom Vicente Scherer.
O músico perdeu a visão, de acordo com ele, por um tratamento médico inadequado e sua vida mudou completamente.

Mas como bom alegretense que é, deu a volta por cima, prefere apagar da memória os momentos ruins e destacar que seus ouvidos se tornaram mais aguçados e o paladar ficou melhor. Ele diz que dá valor às pequenas coisas da vida que, na verdade são, hoje, gigantescas para ele.

“Sou uma pessoa muito mais forte, objetiva, sempre acreditando e correndo atrás dos meus sonhos juntamente com as pessoas que amo e me fazem bem”, acrescentou.

Sete anos se passaram desde que Gui teve o problema de saúde e o alegretense é taxativo quando a pergunta é se ele enxerga: “na verdade enxergo, mas não com os olhos e sim com a energia e o coração. Acredito muito que o que manda no nosso corpo é a mente. Por isso, mesmo com tudo que aconteceu comigo sou uma pessoa feliz e faço o que mais amo. Música é meu combustível”, revela o artista.

E assim é Gui Mendes, sorridente e fortalecido pela musicalidade que o mantém de pé. Quando menos se espera, lança um single para carreira não ficar na monotonia. E a máxima que o bom filho à casa retorna se confirma. Neste domingo (12), um acústico de Gui Mendes a partir das 21, no Quiosque da Praça Getúlio Vargas.

Júlio Cesar Santos                        Fotos: acervo pessoal

Compartilhe
  • 1.4K
  •  
  •  
  •  
  •  
    1.4K
    Shares