Jornada Apícola reúne mais de 200 produtores para mostrar o potencial do mercado do mel

Aconteceu em Alegrete, a quinta edição da Jornada Apícola.

O objetivo da Emater/RS-Ascar, do Instituto Federal Farroupilha Campus Alegrete (IFFar), do laboratório Lápis e Mel e da Associação dos Apicultores de Alegrete (Aapia) foi profissionalizar os apicultores e meliponicultores da região, e criar novas oportunidades de geração de renda a partir da criação de abelhas. Os locais foram, no primeiro dia, o Centro Cultural de Alegrete, e no segundo, o IFFar. A ação reuniu cerca de 220 participantes. O evento teve apoio dos sindicatos Rural e dos Trabalhadores Rurais, Senar, Farsul, Prefeitura e Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Associação Brasileira de Estudos das Abelhas. 

Legado de dedicação à terra: morre Onir Pedro Possebon, ícone no setor agrícola

A Jornada começou na noite de quarta-feira (27/09). Nesse momento, foram realizadas palestras. A primeira foi “Abelhas sem ferrão: uma opção de criação urbana”, ministrada pelo mestre em Zootecnia, meliponicultor e técnico em Agropecuária do IFSC – Campus São Carlos, Douglas Sauceda. Em seguida, “ATeG Apicultura: uma oportunidade de potencializar a eficiência técnica e econômica”, foi tratada pela supervisora de ATeG do Senar-RS, Paola Juchem. Para finalizar a noite, o técnico em Pecuária e chefe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Candelária, Sanderlei Pereira, explicou sobre a “Produção e uso de própolis e pólen de Apis”. 

Um show de inclusão marca festa de 15 anos de aluna especial no Emílio Zuñeda

Já na manhã de quinta-feira (28/09), ocorreu mais um ciclo de palestras. O tema “Mercado do mel” foi ministrado pelo apicultor e coordenador da Comissão da Apicultura da Farsul, Aldo Machado. Após, o Dr. em genética e Biologia Molecular, pós-doutorado em Bioquímica e professor Unipampa Campus São Gabriel, Andres Delgado, abordou o assunto “Não é mel, são méis: como aumentar o valor agregado de um mel”. No encerramento das palestras a zootecnista e técnica do Senar, Lucilene de Mattos, discutiu sobre a “Produção de rainhas na Fronteira Oeste do RS”. Durante o dia ocorreu também uma exposição dos trabalhos sobre apicultura dos alunos do IFFar. 

Leitores do PAT se mobilizam para localizar cavalo furtado

À tarde foi a vez das atividades práticas. Para participar, cada apicultor precisava estar com o seu equipamento completo. As estações foram sobre apiário da Associação, como Alimentação de enxames, introdução de rainhas e Varroa, coordenadas pelos representantes do IFFar Alegrete, professora Renata Porto Alegre Garcia; Federação de Apicultura, Aldo Machado; e Senar, Lucilene de Mattos. 

Segundo o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Clóvis Duarte, o intuito era integrar tanto os apicultores que já têm o uso de recursos naturais com abelhas como fonte de renda, quanto entusiasmar os jovens a aderirem a essa atividade. “Tivemos um bom número de participantes de diversas regiões e jovens estudantes, principalmente, da área de Zootecnia. Diante disso, nós vamos ter produtores, no futuro, com conhecimento”, relata. 

Com informações e fotos: Assessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar – Regional de Bagé  

Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários