Licitação do transporte coletivo terá linhas em Alegrete e Passo Novo
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A audiência pública pela página do Facebook da Prefeitura, no dia 25, que tratou sobre a concessão do transporte coletivo foi do salão azul do Centro Administrativo Municipal.

A audiência teve a participação do prefeito Márcio Amaral, Vice -prefeito, Jesse Trindade, presidente da Câmara, vereadora Firmina Soares e o Secretário de Segurança e Mobilidade Urbana, Rui Alexandre Medeiros na sala virtual.

Três empresas de transporte coletivo participaram da audiência: a Nogueira, Vaucher e a Expresso Fronteira Oeste.

Após as saudações iniciais, Ida Bianchin, do Consórcio Pro cidades 3C, que faz o Plano Diretor do Município, leu a minuta do documento que explica como vai ser a licitação pública.

A licitação vai abranger o transporte na área urbana de Alegrete e no Distrito de Passo Novo. Os ônibus devem ter um tempo de máximo 15 anos,  com no mínimo 20 lugares , ar condicionado ( que vai ser implantado, aos poucos, conforme licitação), acessibilidade, as revisões tarifárias serão feitas após período de um ano. No total serão 17 linhas urbanas e mais três ao distrito de Passo Novo.

A frota, de acordo com o que está na licitação, deve ter 20 veículos, sendo 18 em operação e dois de reserva técnica.

O empresário, João Nogueira ,perguntou quais serão as 17 linhas, estranhando que  Alegrete tinha 13 linhas no início da pandemia e agora com todas as dificuldades a licitação prevê 17 .  Ele acredita que não vai ter número de passageiros que justifique as linhas. E disse que tem que fazer um aproveitamento de carros.

Gilson Vaucher questionou que as linhas que vão para o Passo Novo não podem ter o mesmo valor da área urbana e que o valor da tarifa urbana está defasado há anos.

Ida Baianchi esclareceu em relação as linhas que o sistema não é engessado e vai ser ajustado. A planilha de cálculo tarifário vai ser definida levando em consideração vários aspectos legais. A licitação é uma concorrência pública e tem 30 dias para ser revista, considerou.

Geraldo Mendonça diretor de compras da Prefeitura falou que se pensou em abranger toda a cidade pensando, também, quando voltar ao normal, porque existem usuários em todos os bairros.

A professora Ana Rita Costenaro Parizi, diretora do IFFar, campus de Alegrete, disse que por problemas do transporte ao Instituto acontece muita evasão. Ela quer saber como vão ser as linhas ao campus e que seria pouco apenas três linhas, porque atendem em três turnos e a maioria são alunos carentes.

O prefeito Márcio Amaral agradeceu a todos que participaram da audiência pública destacando que é a primeira vez que acontece uma licitação para este serviço no município. Ele lembrou que linhas ao Passo Novo, além de beneficiar os estudantes também poderá ajudar quem mora na Vila a vir trabalhar aqui na sede urbana de Alegrete.

Como está

O transporte em Alegrete vem sendo contratado de maneira emergencial. No último dia 4 de agosto de 2020 a Expresso Fronteira do Oeste, de Uruguaiana, assinou contrato por seis meses com a Prefeitura para assumir o transporte público de Alegrete. O contrato pode ser renovado por igual período. A nova empresa assumiu no dia 1º de setembro de 2020.

A Prefeitura precisou fazer esse tipo de contratação após as concessionárias locais, empresas Nogueira e Vaucher, desistirem do serviço em junho daquele ano, alegando prejuízos devido à pandemia. As empresas chegaram a solicitar um reajuste na tarifa de R$ 3,00 para R$ 4,10 além de subsídio de R$ 300 mil mensais.

Vera Soares Pedroso

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •