Nilson Xavier, o músico alegretense que sonha em ser advogado
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nilson Vargas Xavier é cantor, intérprete, musicista e compositor. Cantor de bares, restaurantes e animador de eventos diversos através da música.

Como ele mesmo faz questão de frisar. “Sou cria do Alegrete nascido em berço humilde, porém de pessoas honestas e trabalhadoras, que com muito esforço e sacrifícios me deram condições de sobrevivência e ensinamentos para ser um cidadão honesto e de caráter” Assim o alegretense iniciou a entrevista.

Aos 53 anos, Nilson é só gratidão. Há dois anos surgiu a oportunidade de realizar o sonho de também ter uma formação de nível superior. Acadêmico do curso de Direito do 5º semestre ( metade do curso ), tinha na música sua única fonte de renda.

Veio a pandemia e impossibilitou de trabalhar com a arte musical deixando totalmente comprometido a sua sobrevivência. Nesse período enfrentou duas cirurgias ( vesícula e apêndice ), e após um mês contraiu a covid-19.

Venceu e continua lutando pela sobrevivência e para não desistir dos sonhos. Recentemente, amigos proporcionaram uma Live para angariar fundos para Nilson concluir os estudos e até para completar a alimentação.

“A palavra que me define é gratidão a Deus , família e amigos … Obrigado pelo apoio de todos”, destacou o músico

Ainda jovem foi morar na vizinha cidade de São Francisco de Assis, onde conheceu sua outra metade, casou com Mara Martins Xavier e construiu família.

“Começamos na fé e na coragem e lembro que propus a ela que um trabalhasse e o outro estudasse. Entramos em comum acordo e lá foi ela concluir o magistério e em seguida ingressar na Faculdade de Letras em Alegrete e eu comecei a trabalhar com a carreira de músico. Não foi uma tarefa muito fácil, pois não tinha experiência e tão pouco era conhecido”, descreve Xavier.

Ele aproveitou oportunidades tocando em bares ( sem salário fixo apenas ganhando um couvert artístico). Com o passar do tempo foi montando um repertório bem eclético e com talento e carisma, conquistou espaço.

 

Sua determinação e esforço na música conseguiu garantir a formação da esposa em Licenciatura em Letras ( Português, Inglês e Literatura ), e dos dois filhos, Josias Martins Xavier e Jayme Martins Xavier .

Já são 30 anos de trabalho com a música, atuando como músico profissional desde 1987. Participou no Festival de Calouros Regional promovido pelo programa Pampa e Sertão da Radio Alegrete no ano de 1994, sendo o vencedor da final interpretando a música “Nem dormindo consegui te esquecer” da Dupla Sertaneja “Gian e Giovani”, festival composto de cinco eliminatórias, classificando os três primeiros de cada uma;

 

Participação em diversos festivais da música nativista do Estado do Rio grande do Sul: Querência do Bugiu de São Francisco de Assis (6° Aparte – Vencedor com a música “Querência da Saudade”; 7° Aparte – Vencedor com a música “Fotografias Antigas”; 12°Aparte – 2º lugar com a música “O Padecer de uma Infância”; e 13° Aparte – 2° lugar com a música “Terra de Paisagens Lindas”, todas registrada nos discos do festival e postadas no canal Youtube.

No Festival da Canção de Roque González no ano de 2008, foi premiado em 2° lugar com a música Aquecimento Global registrada em disco do festival. Teve participação como intérprete em diversas edições do ENART, representando o CTG Maragatos de Porto Alegre e CTG Negrinho do Pastoreio de São Francisco de Assis. Esteve num show artístico na 26° Expointer 2004 em Esteio. Atuação como jurado na terceira edição do Festival Canto do Ibicuí na cidade de Manoel Viana.

Músico cativo há mais de oito anos na Pastelaria Primeira Opção e há três anos no Galeto Q’Brasa, ambos em Alegrete, Nilson  viu os eventos serem interrompidos a partir de abril de 2020 devido à pandemia da covid-19.

Com muito esforço, e ajuda dos amigos o músico segue sonhando em ser advogado, enquanto não retorna aos palcos para cantar as canções que alegram seu público nas noites de boêmia da cidade que ama desde guri.

Júlio Cesar Santos 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •