Nos 30 anos da política de saúde mental, uma boa nova; vem aí o SAMU Mental

Nesta semana acontece uma intensa programação relacionada aos 30 anos da Política de Saúde Mental de Alegrete.

Na manhã de segunda-feira(15), a diretora do SAIS Mental de Alegrete, Nadia Mileto, Claudiomiro Oliveira, diretor do CAPS II e mais duas pessoas que iniciaram com tratamento em razão da depressão na rede de atendimento e, hoje são voluntários, estiveram na redação para falar sobre todo trabalho desenvolvido.

Dentre todas as abordagens a mais preocupante é relacionada ao alto índice de suicídios neste ano. Mais uma vez, Nádia acrescentou que apesar dos inúmeros acessos e todas as políticas desenvolvidas para que haja um acolhimento a todas as pessoas necessitadas, até este período o número já equivale a todo ano de 2018, são nove casos confirmados e um que estava em análise para ver se teria sido mal súbito ou envenenamento.

Nadia evidenciou que de todas as drogas as mais letais têm sido as lícitas como cigarro e bebidas alcoólicas. A coordenadora enfatizou que o número de pessoas dependentes é muito assustador. Mesmo com todo acesso ao tratamento para tabagismo como adesivo e medicamentos, a maioria só procura o órgão quando tem um diagnóstico de uma doença ou um alerta que serve mais para um ultimato. “O alcoolismo tem sido um problema muito grande que vem a se somar com a depressão, não para dizer qual é o que originou primeiro, pois muitas pessoas passam a ingerir mais bebida alcoólica na tentativa de  desopilar e esquecer os traumas, mágoas, dificuldades, tentam esconder ou se esconder, porém, o resultado é ainda mais agressivo e muito mais complexo” – explicou.

Todo trabalho que engloba a Política de Saúde Mental do Município, vai desde os CAPS II; CAPSAD; CAPS I; Terapias Integrativas; Serviço Residencial Terapêutico; Grupos de ajuda e suporte mútuo; Oficinas de Saúde; Terceiro Turno da Saúde Mental; Redutores de Danos; entre outros.

A coordenadora acenou com um novo projeto que pode ser pioneiro na região e trazer um ganho enorme para os usuários que é o Samu metal. Neste caso, através da Prefeitura e da Secretaria de Saúde, será disponibilizada uma ambulância com uma equipe treinada para atender os casos que, na maioria das vezes pode ficar sem atendimento devido a grande demanda do SAMU. ” Hoje se tem um acidente grave, pessoas com AVC, infarto e outras situações de risco, o paciente que está caído em via pública porque está embriagado ou que tem um surto, tem que esperar por uma questão lógica de prioridades. “Com esta ambulância e equipe própria, vamos dar o apoio e atendimento necessário 24h sem interferir no atendimento do SAMU. vai ser muito mais rápido e ágil para a demanda que hoje Alegrete tem de casos assim”- citou.

Nádia frisou o quanto as pessoas precisam ter mais conhecimento e ficar atentas a todos os sintomas da depressão, que é o fator quase que na sua totalidade para este alto índice de suicídios. Ela disse que desde um estudo realizado em 2005, já havia apontado para este índice no município, principalmente do sexo masculino.

Nossos serviços estão sempre de portas abertas, qualquer pessoa pode chegar no momento em que não estiver bem e necessitar do acolhimento. Toda rede vai receber sem necessitar de um encaminhamento, em alguns casos o paciente vai através de um outro profissional, mas isto não é uma determinação. Todas as pessoas que chegarem em qualquer um dos CAPSs serão atendidas, terá um profissional que vai conversar, acolher e indicar o que ela precisa, em casos mais graves já levamos para à UPA ou a consulta e a reconsulta já ficam agendados.

Em Alegrete, atualmente são mais de 40 mil pessoas atendidas nas redes de saúde, entre depressão, alcoolismo, drogas entre outros.

Para finalizar, Nádia também alertou para o número expressivo de crianças com depressão, muitas com automutilação. “Nestes casos, mais jovens, um dos principais problemas são os jogos que na maioria são violentos e muitos tem passo a passo de como cometer o suicídio, isto é gravíssimo. os pais precisam ficar atentos” – finalizou.

Segue abaixo a programação que iniciou ontem:

Flaviane Antolini Favero

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *