OAB repudia atitude racista envolvendo dois adolescentes de Alegrete

No último dia 2, o PAT noticiou uma ocorrência sobre um adolescente que foi vítima, segundo a mãe, de racismo em Alegrete.

A trabalhadora falou com a reportagem e disse que deu uma certa quantia de dinheiro para o filho adquirir o material escolar necessário, por esse motivo, ele e um amigo da mesma idade, saíram do bairro Cidade Alta até a região central da cidade.

Avó denuncia que neto que necessita de cuidados especiais do Caps AD foi agredido

Durante o período em que estavam no centro, eles entraram em uma loja de produtos variados e, em determinado momento, o amigo do adolescente de 16 anos, disse para ele que iria colocar a garrafa de água dentro da mochila e, assim o fez. Conforme o menor, ele chegou a se afastar dos produtos para evitar qualquer situação equivocada, mesmo assim, não teria sido o suficiente, pois pouco tempo depois, uma funcionária da empresa o chamou e disse que era para abrir a mochila, pois teria que revistá-la.

Esse fato gerou um boletim de ocorrência, pois foi constatado que realmente os adolescentes tinham colocado a garrafa de água na mochila.

Pequenos lixões inundam a cidade e não há solução à vista

O jovem destacou ao policial civil que acredita ter sido em razão da cor da sua pele que a funcionária o acusou de forma velada de um suposto furto.

Por esse motivo a Comissão de Igualdade Racial da OAB/RS, subseção de Alegrete/RS, divulgou uma Nota de Repúdio, acompanhe:

A Comissão de Igualdade Racial da OAB/RS, subseção de Alegrete/RS, manifesta, publicamente, repúdio a quaisquer formas de discriminação e de preconceito racial. O fato que ocorreu numa loja da cidade de Alegrete/RS, envolvendo dois adolescentes negros, divulgado na mídia local e que será objeto de investigação na esfera criminal por meio do B.O prestado pelos responsáveis de um deles, caso confirmado, não é isolado e todos nós devemos atuar no sentido de que tal conduta não volte a se repetir.

O alegretense que foi barrado no Congresso Nacional há oito anos, agora retornou como assessor parlamentar

As características da nossa sociedade brasileira transmitem força, beleza e infinitas possibilidades de criação e recriação, frutos da miscigenação de inúmeros povos, oriundos de outros continentes, em especial a África.

Nesse sentido, a Comissão, desde já, informa que acompanhará o procedimento investigatório e eventual processo judicial e se solidariza com os adolescentes e seus familiares.

No link ao lado a matéria na íntegra:Menino é alvo de suspeita infundada de furto; clientes o defendem de atitude truculenta

                           

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários