Operação Potro sem Dono vai utilizar câmeras do Ciosp para o recolhimento de cavalos das ruas

A operação denominada “Potro sem Dono ” é fruto de uma análise realizada pelo patrulhamento da Guarda Municipal nos pontos de maior incidência desses animais na cidade. O secretário de segurança e cidadania e mobilidade urbana, Uilliam Rodolfo Almeida, diz que alguns pontos de foco são visualizados por meio das câmeras do Ciosp, objetivando ações mais rápidas de captura e visando a diminuição no número de animais soltos no perímetro urbano.

Ele diz que não cidade há uma cultura de criação de equinos no perímetro urbano, onde é importante conscientizar a população e, principalmente, os proprietários desses animais, que o paradeiro inadequado gera riscos consideráveis para os usuários do trânsito e para os próprios animais.

Cavalos soltos no centro, próximo à Rodoviária

Quando o atual secretário era diretor da Secretaria de Segurança, sugeriu o nome da operação ao então secretário Daniel, e foi montado o cronograma, mas não foi possível, na época, dar início a essa atividade, mas agora começou a Operação Potro sem Dono que está em andamento e ajuda a identificar mais rápido onde mais tem animais soltos na cidade e o posterior recolhimento deles ao Potreiro Municipal.

A secretaria conta com um caminhão para recolher cavalos soltos pelas ruas da cidade. Para retirar cada cavalo apreendido que vai para o Potreiro Municipal, o dono tem que pagar o valor de 862,20.

Se inscrever
Notificar de
guest

1 Comentário
Mais antigas
O mais novo Mais Votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Rogério silva

Se fosse só equinos seria aceitável, mas aqui no bairro ibirapuitã mais especificamente na rua uruguaiana próximo ao parque de máquinas da prefeitura municipal é muito comum bodes,cabras, cabritos, porcos, leitões e também equinos.