Professora dá à luz netos gêmeos após inseminação para realizar sonho do filho gay de ser pai

Noah e Maria Flor nasceram na noite de terça-feira (3) no Hospital das Clínicas da USP em Ribeirão Preto (SP). Aos 45 anos, Valdira das Neves tentou fertilização in vitro por 4 vezes.

Nasceram na noite desta terça-feira (3) os gêmeos Noah e Maria Flor, filhos do analista financeiro Marcelo das Neves Júnior, de 24 anos, e que foram gerados no útero da avó, mãe de Marcelo, a professora Valdira das Neves, de 45 anos.

Valdira entrou em trabalho de parto ainda durante a tarde e as crianças nasceram às 20h50 no Hospital das Clínicas da USP em Ribeirão Preto (SP). Maria Flor pesa 2,250 quilos e Noah, 2,190 quilos. O menino foi levado à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica.

“Logo, logo, ele estará com a gente, com fé em Deus. Minha mãe está ótima”, disse Marcelo, que acompanhou o parto e continua no hospital com Valdira. A previsão inicial dos médicos era de que os bebês nasceriam somente em 12 de setembro.

A professora aceitou o convite para ser “barriga solidária” e realizar o sonho do filho, que é homossexual e sempre desejou ser pai. A gestação ocorreu a partir de uma inseminação artificial com espermatozoides de Marcelo e óvulos de uma doadora anônima.

Marcelo das Neves Junior, de 24 anos, segura um dos filhos ao lado da mãe e do pai — Foto: Arquivo Pessoal

Marcelo das Neves Junior, de 24 anos, segura um dos filhos ao lado da mãe e do pai — Foto: Arquivo Pessoal

Fertilização in vitro

A professora conta que, após o nascimento de Marcelo, queria dar um irmão a ele. No entanto, a família se mudou da Bahia para São Paulo e, por falta de recursos, os planos foram adiados. Aos 41 anos, após perder um bebê recém-nascido, Valdira procurou uma clínica de fertilização.

Valdira sabia que a idade e problemas na tireoide reduziriam a chance de uma gravidez. Foi então que Marcelo encontrou uma oportunidade para viver o sonho de ser pai e sugeriu que a mãe fosse sua “barriga solidária”, com óvulos doados por uma mulher mais jovem.

Assim, as possibilidades de Valdira engravidar passariam de 3% para 50%.

Marcelo das Neves Júnior e a mãe, Valdira das Neves, na casa da família em Serrana (SP) — Foto: Pedro Martins/G1/Arquivo

Marcelo das Neves Júnior e a mãe, Valdira das Neves, na casa da família em Serrana (SP) — Foto: Pedro Martins/G1/Arquivo

Segundo o ginecologista Anderson Melo, especialista em reprodução humana que acompanhou a gestação, o principal obstáculo aconteceu durante o processo de fertilização, devido à dificuldade de fixação do embrião no útero.

Melo explicou que o endométrio – camada interior do órgão – era muito fino em Valdira. O problema foi contornado com medicamentos. Após três tentativas sem sucesso, em janeiro de 2019, a fecundação foi bem sucedida.

Na casa da família, em Serrana (SP), tudo já está pronto para a chegada de Maria Flor e Noah. Um dos quartos foi transformado com berços, pintura, papel de parede e até uma gravura com os nomes dos gêmeos.

As peças de roupa que os bebês usarão na saída da maternidade também já foram escolhidas.

Quarto dos gêmeos Noah e Maria Flor das Neves está pronto para recebê-los em Serrana (SP) — Foto: Pedro Martins/G1

Quarto dos gêmeos Noah e Maria Flor das Neves está pronto para recebê-los em Serrana (SP) — Foto: Pedro Martins/G1

Fonte: G1

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *