Professora, hoje distante e aposentada, cultiva muitas lembranças e saudade de Alegrete

Participe da sessão Saudade do Alegrete, mande sua história para: email- redacao@alegretetudo.com.br. WhatsApp: 55 999287002.

Lunalva de Fátima Gediel Lucho
Lunalva de Fátima Gediel Lucho

Lunalva de Fátima Gediel Lucho, de 63 anos, é mais uma alegretense a participar do Saudade do Alegrete. Muito saudosista ela faz um minucioso relato de como foi sua trajetória na Terra que tanto ama.

Ela destaca que a última visita, em finados de 2021, foi por um tempo curto, não pode matar a saudade de tudo e todos que gostaria e foram base de alicerce da pessoa e profissional que hoje é. “Amo Alegrete pela história que nela vivi e aprendi”- pontua.

“Logo que sai do Baita Chão, ainda existia trem e, nesta época ia seguido ver os familiares (irmãos,cunhado(a) bem como sobrinhos que ainda aí residem)” informa.

Em 1978, casou- se na igreja Metodista e teve a primeira bebê, no Hospital Militar. Em 1981 mudou- se para Porto Alegre e trabalhou na Escola Luterana do Sarandi.

Em 1983, nasceu a segunda filha, em Porto Alegre e, com 3 meses de vida dela, a família foi residir em Cachoeirinha (cidade da Grande POA) onde reside até hoje, já aposentada como professora há quase dois anos.

Conheça um pouco da trajetória da alegretense no Baita Chão

Ela contou à reportagem que por 21 anos viveu na rua das Tropas, hoje Eurípides Brasil Milano.

Lunalva relembra que iniciou a vida escolar no EduardoVargas e, posteriormente, foi para a Escola Patriarca(hoje prédio da Faculdade), também, estudou no Oswaldo Aranha e mudou-se para Porto Alegre.

Devido a um problema de saúde com a mãe, dela, retornou e fez o quarto ano do ginásio na Escola Emílio Zunheda (à noite ). À época recorda que o educandário era num prédio na rua General Sampaio.

Depois ela ingressou no Magistério no Oswaldo Aranha e deu início a carreira profissional no Antigo MOBRAL.

“Ainda pelo MOBRAL,trabalhei nas escolas Lions Clube e Alexandre Lisboa.Fui voluntária na criação da Antiga CEBEM(ficava na rua da Igreja São José).Dei aula contratada pela Prefeitura nas escolas rurais Harthur Horman(Pinheiros),numa escola no Durasnal, às margens da BR 290 e numa escola dentro da escola Agrotecnica no Passo Novo. Na sequência, trabalhei(pouco tempo)na Escola São Francisco (Vila Nova)” descreveu a docente, hoje aposentada.

Lunalva também se emocionou ao destacar que teve uma infância muito feliz ao lado dos primos que moravam na frente da sua casa. Frequentou desde pequena o Clube Juventude (o pai era sócio).

Com o passar do tempo as visitas foram ficando mais distantes.

Participe da sessão Saudade do Alegrete, mande sua história para: email- redacao@alegretetudo.com.br. WhatsApp: 55 999287002.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários