Revisão eleva em 6,04% a tarifa da Corsan

Consumidores sentirão a mudança a partir da fatura de julho

A partir da conta de 1º de julho, os cerca de 7 milhões de moradores abastecidos com água da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) receberão a fatura com um acréscimo de 6,04% no valor. Na tarde desta quinta-feira, uma revisão tarifária, que ocorre a cada cinco anos, definiu o percentual do aumento.

O índice foi calculado pela diretoria de tarifas da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs) e aprovado pelo Conselho Superior. A abrangência da Corsan é de 353 municípios, sendo que em três —Erechim, Santa Cruz do Sul e São Borja — o aumento depende da agência reguladora municipal.

— Até que as agências locais façam os cálculos, a tendência é de que o reajuste seja o mesmo — explica Júlio Quadros, diretor comercial da Corsan.

Os 6,04% passam a valer no próximo domingo, 1º de junho, mas só impactarão no bolso dos consumidores na fatura do mês seguinte. A revisão da tarifa leva em conta, por exemplo, os custos, investimentos da Companhia e a inflação. Conforme o diretor comercial da Corsan, um estudo feito pela instituição mostrou que seria necessário um aumento de 11,5%. No entanto, o vice-presidente da Agergs e relator do processo, Ayres Apolinário, diz que alguns itens foram removidos do cálculo.

— Tiramos do processo itens como os custos de propaganda e indenização trabalhista.

Anualmente, a Corsan aplica um reajuste, que no ano passado foi de 6,89%. Neste ano, como houve a revisão tarifária, o reajuste não ocorre, pois já está introduzido neste aumento.

— Está abaixo (dos 11,5%), mas vamos aplicar porque achamos que a entidade reguladora tem o papel de avaliar todos os quesitos. Teremos de fazer pequenos ajustes internos, mas temos condições de continuar prestando o serviço com qualidade — garante o diretor comercial da Corsan.

Abragência

– A Corsan é responsável pelo abastecimento de água em 353 municípios do Estado

– Entre as cidades que devem sentir o aumento de 6,04% estão Gravataí, Santa Maria, Passo Fundo, Viamão e Rio Grande

– Municípios como Porto Alegre, Pelotas, Caxias do Sul, São Leopoldo e Novo Hamburgo não estão na lista dos atingidos pela revisão tarifária da Corsan, pois têm serviços de abastecimento próprios.

Fonte: Zero Hora