Saudade de Alegrete: de Natal vem uma bela história de sonho realizado e doces lembranças do Baita Chão
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

E os alegretenses desgarrados estão cada vez mais participativos e com belas histórias de vida. Eles estão compartilhando suas experiências fora da Terra Natal e, desta forma, também, ficam um pouco mais próximos do aconchego do lar, pois, para todos, Alegrete continua sempre como uma grande referência, em suas existências. A sessão Saudade do Alegrete nesta edição vai falar sobre Marion Rodrigues Dorneles de 22 anos. Ela é filha da professora Marilaine Trindade Rodrigues e do médico veterinário Vitorino Fernandes Dorneles.

 

Desde pequena, ela conta que os pais ensinaram a ela e a irmã mais velha, Viviane, a importância dos estudos, de correr atrás dos sonhos e chegar onde desejavam. Esse ensinamento, hoje, também é passado ao meu irmão mais novo, Pedro Vitorino. Através das oportunidades e do apoio recebido dos pais, atualmente ela reside no Rio Grande do Norte, na capital Natal, onde foi buscar a concretização do sonho de ser Sargento do Exército Brasileiro. “Estudo com foco para prestar o concurso neste ano. Me formei na Universidade do Norte do Paraná em Tecnologia em Embelezamento e Imagem Pessoal, área da estética na qual eu trabalhei por 4 anos como maquiadora e designer de sobrancelhas na cidade de Alegrete. Ao me formar, em meio à pandemia, vi a oportunidade de retomar o sonho antigo de ingressar na carreira do exército”- completa.

 

Aos 11 anos, ela já havia residido em Natal, com a mãe e o padrasto por alguns anos, em decorrência da transferência militar dele. Assim, retornou à cidade que criou laços pela oportunidade de estudos e muita experiência de vida.

 

“Sempre fui uma mulher determinada, que corri atrás de tudo que almejava, seja na carreira profissional ou vida pessoal. E dessa forma, a mudança sozinha para a “Cidade do Sol” não me assustou. Aqui reencontrei amigos queridos, conheci pessoas maravilhosas e vivo muito feliz.

 

A saudade da família e amigos do Alegrete faz parte de viver no outro lado do Brasil, longe deles. Mas o amor e carinho que sinto por todos ajuda nesta caminhada de determinação. E sei que logo vamos poder estar juntos, comemorando a vitória na carreira que escolhi. Além disso, levo o RS sempre comigo, no verde do amargo e na bandeira do Rio Grande ou numa canga, esses sentimentos me acompanham em todas as praias do Nordeste que visito!”- finalizou.

Participe da sessão Saudade do Alegrete, mande sua história para: email- [email protected] WhatsApp: 55 999287002.

 

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •