Saudade do Alegrete: desgarrada em Floripa, alegretense leva o Baita Chão no coração

Confira no PAT, a entrevista com a alegretense desgarrada que reside em Florianópolis, mas não esquece suas raízes.

Flavia Daniela Gonçalves Mota.
Flavia Daniela Gonçalves Mota.

Participe da sessão Saudade do Alegrete, mande sua história para: email- [email protected] WhatsApp: 55 999287002

Em mais uma história de alegretenses que estão distantes, da sua Terra Natal, entretanto, não deixam de salientar o quanto amam e sentem falta de Alegrete, a reportagem conversou, por WhatsApp, com Flavia Daniela Gonçalves Mota.

Flavia Daniela Gonçalves Mota - artesanato
Flavia Daniela Gonçalves Mota – artesanato

Aos 48 anos, ela reside com o esposo em Florianópolis, onde a filha e a neta já residiam.

Flávia que, hoje, trabalha em uma agência bancária, também mantém o hobby(assim chama) de fazer roupinhas para PETs .

Ela disse que, aqui, era cuidadora de idosos e costurava. Até que, um certo dia, uma amiga pediu para que fizesse uma roupinha para uma cachorrinha e, dali, passou a fazer muito sucesso com as peças.

“Depois da primeira roupinha para a Pet da minha amiga, não parei mais. Passei a vender para as amigas dela e também lojas e veterinárias. A clientela expandiu e comecei a ter encomendas fora de Alegrete, como Uruguaiana” – comenta.

Flavia Daniela Gonçalves Mota.
Flavia Daniela Gonçalves Mota.

 Com isso, Flávia fez uma página no facebook (Art em Criar), e passou a expor seu trabalho. Realizada no trabalho, ela também, teve o casamento dos sonhos. Diz que foi típico de princesa, isso, no ano de 2014. A festa aconteceu CTG da CAAl  BR Industria.

Flavia Daniela Gonçalves Mota.
Flavia Daniela Gonçalves Mota.

Mas toda a realização profissional e pessoal, não iriam impedi-la de ter que dar um passo a mais e, um ano depois de casar, ela e o esposo foram para Porto Alegre. Mas a alegretense não se adaptou e, ao visitar a filha em Florianópolis, decidiu que lá seria a nova morada e está muito feliz.

“Sinto muita saudade dos amigos que tenho em Alegrete, assim como, minha família. Minha mãe Elza da luz, aposentada e meus irmãos. Tenho saudades dos domingos na Praça Getúlio Vargas com aquele chimarrão gostoso onde só aí é possível encontrar uma erva boa. Além das linguiças, das bolachas… do carreteiro de charque e até do frio” – fala sorrindo.

Flavia Daniela Gonçalves Mota - artesanato
Flavia Daniela Gonçalves Mota – artesanato

Mesmo assim, sem as mínimas(temperaturas) daqui, o ateliê é uma grande referência e Flávia segue trabalhando, não só na agência bancária, mas com as confecções das roupas para Pets.

“Quando me perguntam minha origem, tenho muito orgulho de dizer que sou alegretense. Aqui, as roupas para os Pets fazem o maior sucesso.”- descreve.

A última vez que ela esteve em Alegrete foi em 2019, antes da pandemia. Foi naquele ano que “matou” um pouco a saudade da terrinha, dos familiares e amigos. Ela acrescenta que acompanha o dia a dia da cidade através do PAT e ficou muito triste com as perdas de amigos e conhecidos em razão da Covid-19.

Para encerrar, comenta que, em Florianópolis, há muitos alegretenses e tantos outros catarinenses que já ouviram falar de Alegrete como um colega de trabalho que, no segundo dia que ela estava na agência ao saber que era do Baita Chão passou a cantar o Canto Alegretense.

Participe da sessão Saudade do Alegrete, mande sua história para: email- [email protected] WhatsApp: 55 999287002

1 Comentário
Mais antigas
O mais novo Mais Votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Edileuza

Top! Vou te procurar no Insta. Tbm moro em Floripa..