Trabalhadores são resgatados morando em contêiner em Montenegro

Dois homens nascidos em Pernambuco, de 20 e 28 anos, trabalhavam para empreiteira com sede em Estrela. Ministério Público do Trabalho determinou procedimento de investigação.

Trabalhadores foram resgatados por profissionais da prefeitura de Montenegro — Foto: SMHAD/Divulgação
Trabalhadores foram resgatados por profissionais da prefeitura de Montenegro — Foto: SMHAD/Divulgação

Dois homens, de 20 e 28 anos, que moravam em um contêiner foram resgatados por funcionários da prefeitura de Montenegro, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Naturais de Pernambuco, os dois trabalhadores atuavam em uma obra contratados por uma empresa de construção pré-fabricada e tiveram sua demissão assinada pela empresa após intervenção da Secretaria Municipal de Habitação, Desenvolvimento Social e Cidadania (SMHAD).

De acordo com a SMHAD, os trabalhadores tiveram a multa de rescisão paga pela empresa e já voltaram para sua cidade natal, com passagens também pagas pela companhia. A Adrial Pré-Moldados, empresa para a qual os dois homens trabalhavam, foi procurada pela reportagem e, até a publicação desta matéria, não havia respondido.

O caso foi denunciado pela prefeitura ao Ministério Público do Trabalho do RS (MPT-RS), que afirma que “foi autuado procedimento de investigação e determinadas diligências preliminares estão sendo realizadas”. O caso não foi registrado na polícia.

“Situação muito triste”

A situação dos dois trabalhadores foi denunciada à prefeitura por funcionários de um posto de combustível próximo à obra. Segundo o secretário Luis Fernando Ferreira, à frente da SMHAD, os homens foram encontrados passando frio e assustados.

“Fui lá e encontrei os dois rapazes em uma situação muito triste. Eles pediam para ir embora, e a empresa queria que eles se demitissem. Moravam dentro de um contêiner. Em janeiro, era muito quente, e, agora, muito gelado. Eles tinham duas bermudas, um par de chinelo e um blusão, cada um. Faziam necessidades em um buraco, não tinham gás para cozinhar”, conta o secretário.

De acordo com ele, o dono da empresa foi contatado e admitiu que o espaço era destinado ao armazenamento de ferramentas, mas acabou sendo improvisado como uma moradia.

“O próprio dono da empresa falou que o contêiner era para guardar ferramenta, mas colocou duas pessoas para morar ali. Eles ainda pagavam R$ 80 de aluguel em um casa na cidade de Estrela, que não podiam usar porque não tinham transporte. Eles estavam bem assustados, falaram ‘graças a deus que vocês chegaram'”, conta.

Na segunda-feira (30), os homens tiveram sua rescisão assinada e viajaram de volta para sua cidade natal. De acordo com a SMHAD, uma audiência para tratar do caso foi agendada para esta sexta (3).

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários