Tratamento adequado ao lixo passa ser prioridade para Secretaria de Meio Ambiente

O descarte de resíduos sólidos, a partir de agora, será um um dos principais focos da Secretaria de Meio Ambiente. Dar uma destinação correta ao lixo é um desafio aos gestores e a toda à comunidade.

Além do lixo doméstico, que vai com os 200 containers, sendo a metade para o lixo seco, o que pode ser reciclado e os outros 100 ao lixo úmido, para uma destinação apropriada, conforme a Secretária de Meio Ambiente, Gabriela Segabinazzi,tem os resíduos da logística reversa.

E neste meio existe o descarte de pilhas, lâmpadas, garrafas de long nec – destinação que deve ser feita pelas próprias empresas, a chamada logística reversa.

Segabinazzi informa que os fiscais da Secretaria estão sempre verificando esse descarte, porque esses produtos jogados direto no meio ambiente são extremamente prejudiciais à natureza e já que podem ser reciclados é de responsabilidade de cada empresa fazer a sua parte, alerta.

O lixo que pode ser reciclado como papelão, vidro e outros e que forrm para os containers vão ser entregues à Cooperativa de Catadores.A  CAAL é uma das empresas que realiza este trabalho, em Alegrete, em ação que faz parte do Programa Recicle CAAL. É um projeto interno, destinado a recolher e destinar os resíduos e materiais produzidos e utilizados internamente. Não é um projeto voltado ao grande público, diz Paulo Ismar Florindo, da Comunicação  e Marketing da Empresa, porque seria muito dispendioso e tornaria inviável à cooperativa, pois o serviço de coleta externo cobra um preço considerável para recolher e transportar os materiais.Para o público externo, a Cooperativa sugere que se usem os meios disponibilizados pelo poder público.

Vera Soares Pedroso

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *