Veterinárias deixam de faturar alto sem os festejos de 2020

Há um ano, o movimento nas lojas de artigos de gaúchos e veterinárias, nesta época, era intenso por conta da Semana Farroupilha aqui em Alegrete. Com 16 CTGs e 64 piquetes, as empresa do ramo gauchesco e veterinário tinham uma excelente safra nesta época no Município.

Com a pandemia, o cenário mudou e as vendas de artigos de encilha, alimentos para cavalos e pilchas praticamente não acontecem em Alegrete. Com o cancelamento das festividades, as empresas que vendem estes produtos tiveram queda no faturamento no que se refere a artigos específicos para a Semana Farroupilha.

 

No Setembro Amarelo: um clássico exemplo de como vencer a depressão

Normalmente as veterinárias começam as vendas na metade do mês de junho. Rodrigo Brasil, da Veterinária Ibirapuitã, diz que sem vender para este publico específico deixou de faturar cerca de 100 mil por mês desde o mês de junho.  – Foi uma queda de 30% no faturamento da empresa.

CVV, ONG de prevenção ao suicídio, recebeu mais de 1.800 ligações em quatro meses

Aldomir Risson, da Veterinária Caverá, também confirma que sem os Festejos, houve queda nas vendas de produtos específicos para cavalos e pilchas e, com isso, deixaram de arrecadar desde junho nessas vendas cerca de 250 mil reais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *