A empatia, na sua essência, foi exercitada no centro de Alegrete

Compartilhe
  • 1.2K
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1.2K
    Shares

“Sempre que puder, fale de amor e com amor para alguém. Faz bem aos ouvidos de quem ouve e a alma de quem fala” – Irmã Dulce.

Com essa citação, iniciamos a reportagem, pois essa é uma das essências de tudo que foi presenciado na última semana, na rua dos Andradas, Centro.

 

Ao passar pela rua, a cena inevitavelmente impactou. Um jovem com sua mão no peito de um homem, que diariamente é encontrados pelas ruas de Alegrete, no fervor da oração. Independente do que se passava ao seu redor, o que aquele jovem buscava era confortar o homem que chorava de forma compulsiva sentado na calçada.

Depois que ele realizou a oração e conversou com o homem a reportagem se aproximou e pediu para conversar com ele. Em tempos de pandemia e muitas dificuldades, foi um lindo e abençoado flagrante. Não apenas dizer que se importa, mas fazer algo que pode naquele momento representar muito para quem precisa de uma palavra de conforto.

Ismael Rings, de 22 anos, disse que acredita muito que Deus tem o controle de todas as coisas. Ele cita à tarde como uma demonstração do cuidado de Deus com todos. “Eu estava indo na rua dos Andradas e vi aquele homem sentado no chão, chorando. Por ele passaram tantas pessoas e nem sequer olhavam (como se ele não estivesse ali), inconsolavelmente, ele chorava. Foi então, que parei e perguntei o que estava acontecendo e ele contou toda sua história, conversamos um bom tempo e entendi o que se passava, foi então, que disse a ele o tamanho do valor que ele tem e que aquele encontro não era por acaso. O meu trajeto inicial era outro, mas senti que era pra mudar a rota. Quando o encontrei entendi que era Jesus querendo encontrá-lo” descreveu.

O jovem que é membro do CAID (Centro de Avivamento), disse que é comum se deparar com essas situações, e pensa: “o que Jesus faria no meu lugar ? E a resposta que encontra é que Ele faria exatamente o mesmo, disse.

Ismael faz parte do movimento Brothers da Fé que ocorre no calçadão de Alegrete uma vez na semana. Porém, com a pandemia não estão se reunindo de forma presencial mas através de Lives.
“O intuito do movimento é promover estes encontros de pessoas com Jesus, através dessas atitudes,levando uma palavra de fé,esperança e amor, pessoas estão sendo transformadas. Em tempos tão difíceis aonde pessoas padecem e até mesmo tiram a própria vida, não ter uma mão pra estender e um coração pra entender é entregar uma batalha que pode ser vencida por nós”- comenta.

O jovem ressalta que cresceu em um lar Cristão, seus pais sempre acreditaram em pessoas que foram esquecidas pela sociedade. “Desde pequeno aprendi a dividir com o próximo tudo o que recebia, observando meus pais, trazemos até mesmo pra nossa mesa pessoas que estavam em uma situação vulnerável” – citou.

 

Flaviane Antolini Favero


Compartilhe
  • 1.2K
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1.2K
    Shares