57 dias depois do trágico incêndio, a Padaria Canto Doce vai reabrir suas portas

Compartilhe
  • 368
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    368
    Shares

Depois de quase dois meses do incêndio que consumiu a Padaria Canto Doce,  localizada na rua Luiz de Freitas, a família Cariolato agradece a todos que se mobilizaram e auxiliaram de forma grandiosa naquele momento difícil. Além de destacar que foram dias de muito trabalho, mas que no dia 10 de agosto, novamente vão reabrir as portas. Em novo endereço, mas com a mesma paixão, dedicação e ainda mais gratidão por tudo que receberam, de todos os amigos, empresas e pessoas que auxiliaram com rifas e diversas formas que angariaram fundos para a reconstrução da empresa.

Acompanhe um pouco a história da empresa:

A Canto Doce existe desde 1985. Rosa Cariolato iniciou o trabalho nos fundos da casa dos sogros, Adão e Tarcila.

Com uma sutileza na descrição, Roberto Cariolato diz que era uma casa amarela na frente do atual supermercado Peruzzo, na Venâncio Aires.

“Nossa matriarca Rosa Maria e a cunhada Marta vendiam pães caseiros, doces em calda e cristalizados, rapaduras de todo tipo e a famosa geléia de mocotó. Como sempre foi um empreendimento familiar, em 1998 surgiu a sociedade entre Rosa, a filha Rejane e o genro Luís Carlos. Agora, com sede física própria na rua Venâncio Aires, a padaria começou a inovar nas suas produções, já que Luís também tinha experiência no ramo da panificação” relembram.

Desde então personagens novos foram adicionados a essa história, Roberto da Silva Oliveira, chamado de “Roberto Padeiro”, por exemplo, é uma das figuras que compõe o cenário da segunda “casa”. Bem como a Cláudia, Lília, Celina e Ana Maria. Todos de alguma forma contribuem para o que hoje é considerada a “família Canto Doce” que se formou de laços que vão além do sangue.

Anos mais tarde, Rosa, com incentivo do marido, Renato (in memorian) assumiu inteiramente a padaria, modernizou o maquinário e trocou a sede de lugar. Ela mudou-se para o local que hoje tem as marcas do fogo e fuligem nas paredes, a antiga sede na Luiz de Freitas.

“Foi naquele lugar que os netos da nossa matriarca cresceram, auxiliando no atendimento, indo com os pais para ajudar na produção das festa de fim de ano e aumentar o quadro de funcionários (já que os pedidos excediam a nossa linha de produção normal). Dois anos atrás tivemos mudanças na administração, novamente a padaria passava a ser uma sociedade familiar, dessa vez com o filho Roberto, assumindo o controle da padaria junto com nossa matriarca. Trazendo de volta o frescor que precisávamos para continuar o trabalho.”- descrevem os filhos.

Desde o princípio, a Canto Doce viu nascimentos, casamentos, falecimentos e divórcios. A família passou por tudo junta, levando ao pé da letra quando destacam que são uma grande família. Os colaboradores sempre estiveram juntos na luta, sempre tratados como membros da família, nunca houve distinção e isso é um orgulho para família Cariolato.

O incêndio

“Chegamos ao dia 13 de junho. Às 18h o incêndio começou. Nossa decoração e balcão de atendimento eram praticamente todos em madeira, então o fogo se alastrou muito rápido, perdemos tudo. Quem estava de longe ligava em desespero por notícias. A incerteza do futuro pairava sobre todos, que de forma impotente viam o fogo consumir o resultado de anos de trabalho.
Perdemos o material, mas não a nossa história, temos suor e luta permeando mais de 20 anos de trabalho.E é por todo esse legado que nos levantamos. É por nossos clientes, fornecedores, vizinhos, amigos e colaboradores que partilham essa história conosco há mais de duas décadas, que voltamos.”- citam.

No dia posterior ao incêndio, 14 de junho, a família percebeu que não poderia parar. Então, formou-se uma corrente do bem em prol da padaria. Amigos e clientes uniram-se e ajudaram como podiam.

“Recebemos doações e empréstimos de material de trabalho, maquinários, organizou-se rifas, lives na internet, vendas beneficentes, cada um ajudou como podia para a padaria reerguer-se”- destacam.

“Na segunda-feira, a família Silveira se reuniu e retomou a produção, contamos com a ajuda de vários comerciantes locais, que serviram como pontos de venda, já que não tínhamos onde expor nossos produtos. Com a força de trabalho e a ajuda dos amigos, nos reinventamos, contratamos mais uma confeiteira para ajudar a equipe e aumentamos a variedade de produtos. A essência da canto doce, de doces caseiros em calda e tradição se mantêm, mas agora retorna inovada.
Cinquenta e sete dias após o incêndio, estamos reinaugurando nossa sede em novo endereço, que também nos foi cedido neste primeiro ano para trabalharmos. A nova Canto Doce reabre suas portas no dia dez de agosto, na rua General Vitorino, 52. Cheia de novidades e claro, tradição e carinho em família. Obrigada a todos que de alguma maneira estiveram conosco nesta história e se fazem presente.”- concluíram.


Compartilhe
  • 368
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    368
    Shares