Fernanda Ziani Goulart: a RP alegretense na Operação Acolhida

A militar alegretense, Fernanda Ziani Goulart, integrou a Força-Tarefa Logística humanitária em Roraima.

A 2° Ten Fernanda, cumpriu a missão e, aos 36 anos, se sente realizada na profissão que escolheu e também por testemunhar de perto uma das mais importantes missões que o Exército Brasileiro realizou em solo brasileiro.

Filha do casal alegretense Maria Raquel Ziani Goulart e Edi Vernei Souza Goulart, é formada em Comunicação Social – habilitação em Relações Públicas.

Lotada na 3º Região Militar, em Porto Alegre, ela desempenha suas funções no SFPC, Serviço de Produtos Controlados pelo Exército.

A alegretense ingressou nas fileiras do Exército em fevereiro de 2017. Antes, trabalhou na CAAL, Cooperativa Agroindustrial Alegrete Ltda, por sete anos.

A Operação Acolhida foi a primeira missão  da Fernanda no Exército. Ela aterrissou em Boa Vista, capital de Roraima, no dia 2 de agosto deste ano. Foram 3 meses e 26 dias, de uma vivência incrível, conta a alegretense.

Lá ela presenciou de perto o drama das famílias venezuelanas chegando ao Brasil, inúmeras sem nada, com somente uma mochila ou sacola nas costas e carregando crianças ainda de colo, na busca por apoio e alimento.

“São cenas muito marcantes. Eles não sabem o que vão receber/encontrar e se contentam com o que for dado”, descreve a oficial.

Esse esforço e apoio que o Exército Brasileiro oferece ao povo venezuelano está sendo fundamental para ess recomeço no Brasil.  Fernanda acompanhou o empenho de cada venezuelano na busca pela interiorização, de uma nova vida, um novo começo.

“Foram momentos que demonstraram a importância  dessa missão para nós como nação”, afirma.

A alegretense participou de uma Interiorização com destino ao RS e revelou momentos gratificantes ao ver e sentir a felicidade das 19 famílias que acompanhou neste trabalho.

Na Operação, Fernanda fez parte da célula de Comunicação Social, que tem como objetivo buscar através da comunicação e informação, alternativas para o melhor acolhimento do imigrante venezuelano.

“Foi um trabalho gratificante junto a um grupo fantástico. Só tenho a agradecer pela chance que o Exército me proporcionou de ter ajudado a tantos que necessitam e contribuir com a atenção, um sorriso, com carinho e amor”, avalia.

Receber um abraço dos pequenos, foram momentos que a alegretense diz não ter preço. Um trabalho gratificante atesta a 2º Tenente.

Fernanda é grata ao seu esposo Vinicius Pando, família e aos amigos pelo suporte para os dias que esteve longe. Ao Exército Brasileiro pelo crescimento profissional e pessoal que conquistou e aos amigos que fez em Roraima. “Sem dúvida alguma, foi uma experiência fantástica para a minha vida”, avaliou.

Nesta semana, Fernanda desembarca em Alegrete para matar a saudade da família, dar um abraço em seus pais e amigos. Com o sentimento do dever cumprido e um sorriso carregado de emoção por ter contribuído por dias melhores na vida de dezenas de venezuelanos.

Júlio Cesar Santos                                     Fotos: arquivo pessoal

 

Compartilhe
  • 1.2K
  •  
  •  
  •  
  •  
    1.2K
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *