Balão intragástrico é a nova chance para Mirian continuar vivendo

Há quatro anos Mirian Abreu aguarda pelo dia em que vai fazer uma cirurgia bariátrica. Com obesidade mórbida, ela disse que algumas pessoas não valorizam a vida.” Tem noites que eu até nem gostaria de passar. Fico imensamente grata por ter um ventilador bom, que eu ganhei, um ar-condicionado, mas preciso do meu organismo para viver” – desabafou.

Segundo Mirian, no último dia 3 de setembro, em Canoas, ficou decidido que devido aos demais problemas de saúde, inicialmente, ela vai colocar um balão intragástrico, segundo avaliação do cirurgião, Dr. Fernando Farias. “Com o peso que estou, corro risco de vida, pra fazer a cirurgia. Preciso perder peso, tenho uma grande assistência do Município, mas não é fácil. Parece que cada dia é pior” – citou.

Mirian precisa usar o balão intragástrico por no mínimo, seis meses, e tentar baixar pelo menos 10% do peso pra fazer a cirurgia.

Dentre todos os relatos desse período crítico, Mirian disse que, às vezes, se vê desesperada, por esse motivo não deixa de tentar todas as possibilidades. Ela reconhece que o Prefeito Márcio Amaral, já fez contato com a Delegada da 10ª CRS, Heili Temp, para trocar informações sobre seu caso. Ela disse que a Delegada é incansável nesta luta.

Para seu alívio, nesta segunda(25), ela recebeu uma ligação de Canoas, hospital Referência, agendando uma consulta para este dia 3 de dezembro.

Ao mesmo tempo que a notícia é muito comemorada, Mirian acrescenta que não foi definido o que ela irá fazer, se apenas mais uma avaliação ou se já seria para colocar o balão.

“Tô buscando essa informação, pois a cada viagem, o custo é altíssimo no final. Muito desgaste, passo muito mal.  Pois não resolve mais eu ficar indo pra ouvir o que já sei. Preciso de uma definição. Eu só luto pela minha vida, quero viver” – destacou.

Porém, Mirian relata que está passando por um dos momentos mais delicados:” tá insuportável viver, não durmo, tenho muita falta de ar, dor nas pernas e no corpo. Minha pressão se descompensou, ora tá muito alta, ora baixíssima. ” descreveu.

Mirian disse que devido a sua longa peregrinação, muitas pessoas  pensam que ela já fez a cirurgia, que está bem, mas nada saiu do lugar.
Em Canoas o processo iniciou em 29 de abril de 2015.
” Não brigo por nada mais, somente pela minha vida. Falo com o cirurgião, mas ele só enrola. Não responde no watts,não atende o telefone. ” – ressaltou.

A maioria dos alegretenses já são conhecedores da luta de Mirian pela vida. De tempos em tempos ela faz um desabafo nas redes sociais, principalmente quando passa por alguma crise mais aguda.

Ela sempre recebe o carinho e palavras de conforto. Mas precisa que essa situação de resolva para seguir a viver a vida de forma digna.

Compartilhe
  • 412
  •  
  •  
  •  
  •  
    412
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *