fbpx

Com fama de ‘casamenteiro’, igreja celebra com procissão dia de Santo Antonio
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A procissão luminosa saiu da frente da Comunidade Santo Antônio e foi até a outra Comunidade Santo Antônio (anexo à Santa Casa) . Fiéis levaram velas durante o percurso, além de orações.

Santo Antonio ou Fernando Antônio de Bulhões, seu nome de nascença,  nasceu em Lisboa, Portugal, em 15 de agosto do ano de 1195. De família nobre e rica, era filho único de Martinho de Bulhões, oficial do exercito de Dom Afonso e de Tereza Taveira. Sua formação inicial foi feita pelos cônegos da Catedral de Lisboa. Antônio gostava de estudar e de ficar mais recolhido.

Protetor das coisas perdidas. Protetor dos casamentos. Protetor dos pobres. É o Santo dos milagres. Fez muitos ainda em vida. Durante suas pregações nas praças e igrejas, muitos cegos, surdos, coxos e muitos doentes ficavam curados. Redigiu os Sermões, tratados sobre a quaresma e os evangelhos, que estão impressos em dois grandes volumes de sua obra.

Neste 13 de junho foi  celebrado em memória deste grande Santo da Igreja Católica. Um jovem que aos 19 anos ingressou na vida religiosa e teve a graça de conhecer São Francisco de Assis. Infelizmente morreu jovem também, com 36 anos de idade. Se tornou popular por ser o “Santo das coisas perdidas” e o “Santo casamenteiro”. Contudo, ele é venerado com um grande pregador.

Tanto que se encontra em Pádua, na Itália, a sua língua intacta. Foi um exímio orador. “Vejo no povo uma forte devoção por Santo Antônio. Nunca ouvi relatos sobre casamentos intermediados pelo santo, mas já sobre pessoas que perderam coisas de valor inestimável e conseguiram encontrar com pora interseção dele. Minha mãe mesmo, Dona Vanda, muito devota de Santo Antônio, sempre quando perde algo, logo recorre a ele. Neste dia, também se tem a tradicional benção dos pães de Santo Antônio, recordando o quanto o santo ajudava os pobres oferecendo pães.” – explicou Padre Evandro Carvalho, pároco da Igreja Matriz Nossa Senhora  Imaculada da Conceição, Paróquia Central de Alegrete.

Flaviane Antolini Favero


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •