Covid-19: com aumento de casos graves,  Alegrete retorna para bandeira vermelha
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Aumento em todos os indicadores monitorados reforça necessidade de obediência aos protocolos.

Na manhã desta sexta-feira(20), uma coletiva de imprensa, com parte do Comitê de enfrentamento da Covid-19 e o prefeito Márcio Amaral, para uma explanação do quadro atual, este resultado já era previsto.

O colapso tão temido no sistema de saúde se confirmou; tem gente na fila da UTI Covid

Com a UTI Covid-19 lotada e pacientes sendo transferidos de Alegrete, além de todo quadro da Região, o Município está na bandeira vermelha, de acordo com Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Atualmente, o Alegrete tem mais de 400 casos ativos do vírus. A falta de conscientização de algumas pessoas e o afrouxamento das medidas restritivas levaram o caos à saúde.

Para frear o Coronavírus, Alegrete terá toque de recolher a partir desta sexta-feira

Na 29ª semana do Distanciamento Controlado a Região 03 retorna para bandeira vermelha depois de três meses na laranja. O Município de Alegrete passou para risco alto de contágio.

O mapa preliminar do Distanciamento Controlado traz 13 regiões em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto). Desde a 28ª rodada, o Rio Grande do Sul vem percebendo aumento nas hospitalizações por Covid-19 e nas internações em leitos de UTI, o que justifica o retorno de um grande número de regiões em vermelho.

O momento é de alerta: o Rio Grande do Sul observou aumento em todos os indicadores monitorados pela equipe do Distanciamento Controlado. Houve elevação de 65% (de 171 para 282 casos) no número de óbitos e de 27% (de 923 para 1.171 casos) nas hospitalizações confirmadas por Covid-19. Por isso, o governo do Estado reforça a necessidade de a população seguir os protocolos e as regras sanitárias estabelecidas pelo modelo.

Das 21 regiões Covid, apenas Uruguaiana, Bagé e Guaíba não aderiram ao sistema de cogestão do Distanciamento Controlado.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •