Da série, iniciativas inspiradoras, a enfermeira que virou doceira com extrema dedicação

Compartilhe
  • 256
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    256
    Shares

Em muitas abordagens, o PAT tem realizado narrativas de alegretenses que se destacam, realizam ações voluntárias e de superação.

A história de hoje, não é de uma alegretense, mas de uma jovem que é natural de Cacequi com residência em Alegrete. Um empresária que sempre superou os obstáculos da vida e com certeza muitas pessoas vão se identificar ou se inspirar com o relato a seguir.

 

Muito destemida e determinada, Sandieli Gonçalves, nunca viu nos percalços da vida uma dificuldade, sempre foi à luta. Ela disse que foi criada pelos avós, desde que saiu do hospital e não teve muito contato com os pais tanto na infância quando no período adulto. Eles eram muito novos na época e foram embora para Santa Maria a deixando com os avós na cidade de Cacequi. Pelo que sabe o pai foi a trabalho.
Mas com os avós e a bisavó sempre recebeu todo carinho, atenção, estudos e sempre foi bem educada por eles, comenta.

Mas de origem humilde, a família não poderia oferecer à ela o que mais desejava depois que terminou o ensino médio. Sandiéli foi residir em São Gabriel, para fazer a faculdade de enfermagem, e nisso para ajudar nas mensalidades começou a vender bolos, fatias de pizza, docinhos, cupcakes, tudo para os colegas da faculdade, pessoas que trabalhavam lá. Ela diz que sem muitas opções, não poderia esperar por milagres, então colocou a mão na massa, literalmente.

 

Depois que terminou a faculdade foi para Santa Maria, tentar uma oportunidade de emprego por lá. E logo que chegou, já estava empregada, porém, tinha aquela esperança de empreender e fazer a tão sonhada faculdade de gastronomia.
Depois de um ano, a empresa que trabalhava acabou fechando e demitindo os funcionários e, lá estava ela sem emprego novamente.
Mais uma vez, Sandieli se desafiou e resolveu vender trufas. Todos os dias acordava cedo para fazer recheios e as trufas para poder de tarde colocar na caixa, que tinha especialmente para acondicioná-las, e saia de porta em porta, nas ruas e também nas lojas, a oferecer as trufas.

Ao chegou dezembro e com ele, o Natal, neste momento, ela buscou um voo um pouco mais alto e arriscou. Desta forma, passou a divulgar nas redes sociais suas trufas e demais produtos. A ousadia rendeu alguns eventos, parcerias em festas e, com a venda, finalmente, Sandiéli passou a realizar seu maior sonho, a faculdade de gastronomia. “Me descobri doceira depois que vendi minhas trufas na rua por isso decidi começar a vender no natal em 2016.”- falou.

Mas ela não parou por ai, também realizou especializações no ramo de doces finos, confeitaria entre outros. Todos os sonhos idealizados pela perseverança, pela garra e fibra desta jovem que não se omitiu para o destino que poderia ser menos favorecido, caso ela não tivesse “arremangado às mangas” e ido à luta.

Hoje ela é empresária e tem seu ateliê com os mais variados produtos.” Agradeço a Deus, deu tudo certo e valeu a pena ter feito cada coisa que fiz, cada venda na rua de porta em porta, e aos meus clientes que estão comigo desde o início que comecei lá atrás. E sempre tenho a agradecer aos meus avós e minha bisavó que acreditaram em mim e, em minha força de vontade, eu devo muito isso a eles que sempre me incentivaram a não desistir”- comentou.

Sua história com Alegrete iniciou depois de uma visita na cidade, no ano passado. Sandiéli que já tem uma loja em Santa Maria, disse que sentiu no Município que aqui seria um ótimo lugar para apostar em mais uma loja e, acredita no comércio local. Ainda não está com a loja, em razão da pandemia, mas atende por encomendas.

Sandiéli, disse à reportagem, que nem sempre foi fácil, mesmo com o apoio da família há momentos que tudo pode ficar complicado, mas não desistir é muito importante para que os sonhos e os desejos possam ser alcançados e concretizados.

 

Flaviane Antolini Favero


Compartilhe
  • 256
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    256
    Shares