‘Denota uma premeditação’, diz polícia sobre suspeito de matar família em incêndio em Tunas
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Vítimas são os pais e a irmã de 1 ano. Jovem, de 23 anos, foi preso quando chegava para o velório dos familiares. Filho teria baleado o pai antes do incêndio. Polícia investiga desavenças por herança.

A Polícia Civil acredita que um jovem, de 23 anos, premeditou o incêndio que matou os pais e a irmã, de 1 ano e quatro meses, em Tunas, na Região Central do Rio Grande do Sul. O crime ocorreu na sexta-feira (12) da semana passada. No domingo (14), o homem foi preso quando chegava para o velório dos familiares.

Segundo a delegada Alessandra Xavier de Siqueira, o jovem teria retirado todos os documentos da casa, como de propriedade de terras da família, que estavam guardados dentro do armário de roupas.

“Documentos importantes que o casal guardava no quarto foram retirados antes do incêndio. Denota uma premeditação com relação ao cuidado que esse rapaz teve de não deixar que esses documentos se consumissem com o incêndio”, explica a delegada.

 

O jovem também é suspeito de ter atirado contra o próprio pai, antes de colocar fogo na residência.

A delegada investiga ainda a suspeita de uma disputa pela herança, já que os bens haviam sido direcionados para a irmã. Um familiar comentou à polícia que o suspeito teria feito uma apólice no nome do pai, no valor de R$ 50 mil.

Incêndio matou família em Tunas — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Incêndio matou família em Tunas — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Testemunhas também relataram que o suspeito era uma pessoa tranquila e tinha condutas que não levantavam suspeitas.

A polícia ainda aguarda o laudo da perícia. Outras testemunhas serão ouvidas nos próximos dias.

Casa ficou destruída com o incêndio — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Casa ficou destruída com o incêndio — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Fonte: G1


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •