Importante saber a origem e qualidade da água que consumimos

Nesta época do ano, com as altas temperaturas e baixa umidade do ar, se faz necessário beber muita água.

E a qualidade do líquido mais importante ao organismo é uma preocupação do Médico Veterinário e sanitarista, Paulo Renato do Gonçalves, da Secretaria da Saúde e 10ª CRS.

Ele informa que é necessário cuidados até mesmo com a água que vem em bambonas e a mineral. Essas vendidas nas bambonas não podem ficar direto no chão junto com gás e nem ser transportadas junto com outros produtos, pois podem receber os vapores. O sanitarista diz que em Alegrete existem empresas que armazenam e transportam  junto com gás.  Também é preciso cobrir a vasilha, porque a agua em contato com a luminosidade pode criar algas.

A limpeza da borda das vasilhas com álcool 70 é fundamental, antes de colocar o botijão no suporte.

Já em relação à água mineral, é preciso observar se é rica em sódio e poderá causar problemas renais e hipertensão. Se o PH  for acima de 7 passa a ser uma água alcalina e isso poderá provocar problemas gástricos e é sempre bom ver a validade, observa.

A maior preocupação de Paulo Gonçalves é quanto a água consumida na área rural, porque se vem de fontes rasas pode estar exposta a fezes e até esgotos de residências e isso é risco iminente de contaminação e doenças. A canalização também tem que ter cuidados ate chegar às casas. Ele orienta que se a água vem de fontes que possam sofrer contaminação, seja fervida.

As doenças mais comuns causadas por água contaminada são vômitos e diarreia. É preciso ter atenção redobrada com crianças, idosos ou pessoas com doenças crônicas, destacou o sanitarista.

Paulo Gonçalves diz que a água fornecida pela Corsan tem qualidade, porque passa por todo um processo de  tratamento com o trabalho de técnicos. O importante é fazer a limpeza das caixas de água, de seis em seis meses, usando água sanitária.

 

Vera Soares Pedroso

 

 

Compartilhe
  • 91
  •  
  •  
  •  
  •  
    91
    Shares