Luciana, uma prenda muito especial íntegra a invernada mirim do CTG Farroupilha

A magia da inclusão, dos desafios e do amor ao próximo. A prenda que vira bailarina, essa é a fundamental participação de Luciana Rodrigues Pereira de 35 anos junto à Invernada Mirim do CTG Farroupilha, no Desafio Farroupilha. Com o tema de inclusão e solidariedade, o reality Show da RBS TV agregou neste ano a Cavalgada do Bem.

Luciana que está inserida na coreografia e aos integrantes da Invernada Mirim, tem Síndrome de Down. Ela realizou uma belíssima apresentação em todas as etapas até aqui, Luciana mostrou que a diferença é não ter diferença.

Em entrevista nesta semana, a mãe Henriqueta Rodrigues contou um pouco da rotina da bailarina.

A mãe disse que a filha sempre participou da APAE, ela inclusive começou a caminhar na Instituição. Dos 2 aos 14 anos foram estímulos diários na APAE, entidade que foi escolhida pelo CTG para participar do Desafio Farroupilha.

A conversa com o PAT, foi  depois de uma aula de balé. Há 12 anos, Luciana faz aulas na escola Balerina.

Henriqueta disse que quando recebeu o convite houve imediata aceitação e percebeu o quanto a atividade iria fazer bem para a filha.

“Ela é muito ativa e ama dançar. Comigo, vai em todos os lugares, é minha parceira, até mesmo do meu grupo de terceira idade. É a Mascote.”- falou.

Ainda conforme Henriqueta, Luciana está muito à vontade com as crianças da invernada, ela foi muito bem acolhida e quando chegou, também, tratou a todos com muito carinho como se fossem amigos de infância. Todo esse processo desafiador está sendo muito estimulante pra ela. Luciana está muito feliz com essa nova fase.

Em determinado momento, foi inevitável perguntar se a mãe já havia percebido ou presenciado algum preconceito com a filha. Henriqueta, recorda que quando Luciana era criança o preconceito era bem maior. E enaltece esse trabalho do CTG Farroupilha por trabalhar a inclusão.

Muito vaidosa, Luciana não deixa passar nada, está atenta a todas as perguntas.

Eu considero minha filha uma menina normal, não há diferença. E, tudo que é bom pra ela, é bom pra mim. Minha parceira de vida que faz das nossas vidas uma dádiva diária.- completou.

 

Flaviane Antolini Favero

Compartilhe
  • 624
  •  
  •  
  •  
  •  
    624
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *