Alegretense Lúcia Netto: a primeira mulher operadora de áudio com 31 anos de experiência em rádio

O operador de áudio é um profissional que opera a mesa de áudio durante gravações e transmissões ao vivo, respondendo por sua qualidade.

É ele que é responsável pela equalização e qualidade do áudio de tudo que vai ao ar.

A alegretense Ana Lúcia Netto, aos 53 anos, sabe bem as funções de um operador de áudio. Lá se vão 31 anos trabalhando em uma única rádio.

Talvez muitos não sabem e nem conhecem a rotina de um operador de áudio, função importantíssima na programação de uma emissora.

Ela precisa estar atenta a tudo, microfones, vinhetas, músicas, comerciais e tudo isso concentrado numa grande mesa de áudio. São tantos botões que de longe a gente se pergunta como tu aprendeu tudo isso.

A história remonta ao ano de 1987, na antiga Cultura FM. Foi lá que Lúcia quase que, por obrigação aprendeu a profissão. Uma prima estava de saída da emissora e não tinha ninguém capacitado no momento.

A alegretense não mediu esforços,  aprendeu e ficou no lugar dela. Na época era tudo manual, a dificuldade era bem maior, revela a profissional. Hoje com a tecnologia, a programação pode ser toda gravada com recursos que não precisam da presença do operador, inclusive é possível programar um dia inteiro.

Em 1995, surgiu a Nativa FM Alegrete, a rádio voltada ao nativismo durou até 99. Daí em diante, a programação mix, anos 90, incluiu programas diversos, e lá estava a operadora. Lúcia conta que desempenha a função de programadora, edita comerciais e atualmente é a operadora titular do programa Estação Saudade do locutor e diretor local da Nativa Alegrete, Jucelino Medeiros. Aos sábados, mostra todo o profissionalismo comandando uma potente mesa de áudio.

Mas conta histórias. Na época do vinil era mais difícil. Lúcia diz que se nesse tempo a música acabasse e houvesse demora em acionar o botão, o chiado acabava vazando para os ouvintes. Lúcia revela uma concentração fora do comum no programa Estação Saudade.

A operadora não pensa em aposentadoria. A vida em rádio faz parte da profissional que já se aventurou até como locutora. “Trabalhar em rádio é um desafio interessante”, conta Lúcia.

Ela cumpre importantes funções, além de levar entretenimento sem ter contato físico com o ouvinte.

Profissionais no rádio local tem grande importância, Lúcia como mulher batalhadora trilhou um caminho de sucesso. A carreira toda dedicada ao rádio e, mesmo depois de tanto tempo, procura aprender mais e mais, em busca da atualização e aperfeiçoamento numa área que evolui diariamente.

Júlio Cesar Santos

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *