Cobertor Solidário, mais que uma campanha, foi um exercício de caridade e amor ao próximo

Foram centenas de cobertores distribuídos. Muitos famílias não tinham cobertas inclusive para crianças.

Cobertor Solidário - Rádio nativa e Portal Alegrete Tudo
Cobertor Solidário - Rádio nativa e Portal Alegrete Tudo

“Temos de ir à procura das pessoas, porque podem ter fome de pão ou de amizade.”Madre Teresa de Calcutá. O aforismo da famosa pregadora da paz durante a vida, a freira descreve o que a equipe da Rádio Nativa presenciou nestes três dias durante a Campanha do Cobertor Solidário.

É preciso ir ao encontro desta dura realidade que é a pobreza extrema que muitas famílias vivem em Alegrete. Algumas imagens, nem ao menos serão postadas pois a intenção não é a exposição, mas chamar atenção para que mais pessoas, entidades e empresas possam fazer ações em prol destas famílias. Idealizada pelo sócio-diretor, da rádio Nativa, Jucelino Medeiros, também diretor e proprietário do Portal Alegrete Tudo, a Campanha teve três dias de forte envolvimento através da rádio e do PAT. Como sempre, empresas e pessoas de vários pontos da cidade “compraram” a ideia e por uma das ferramentas mais usada PIX, foi possível aquecer centenas de famílias, foram mais de 900 cobertores entregues(isto entre cobertores, edredons e mantas ). Empresas como Estilo e Conforto, Vida Card, Casa dos Colchões, Peruzzo Supermercados, Tottal, Construtora Sotrin, Delicatti, Quero- Quero entre outras.

Cobertor Solidário - Rádio nativa e Portal Alegrete Tudo
Cobertor Solidário – Rádio nativa e Portal Alegrete Tudo

A entrega

Mas o que teve início diante da grande propagação em relação a uma das maiores frentes frias das últimas décadas deixou um misto de alegria por ser possível aquecer todas as famílias contempladas, entretanto, a preocupação diante de uma miséria que comove por não ter um padrão, uma faixa etária ou uma região da cidade, em todos os pontos que o Estúdio Móvel da Nativa chegou, entre idosos, adultos e crianças a necessidade de cobertas e de alimentos comoveu alguns voluntários e colaboradores da emissora.

Gerson Brandolt, José Paulo Alvarenga, as esposas, Kátia Almeida e Rosa Lilian, além da Marileusa Galiarça – integrante do Rotary Club Norte, também, Giovane Moraes e o filho Rômulo entre outras pessoas que foram voluntárias na ação, atuaram durante os três dias para que o maior número de famílias pudessem estar aquecidas naqueles dias. A participação do Consulado do Internacional, através do Cônsul Vilmar Freitas, também foi muito importante. Uma camiseta oficial foi sorteada entre os doadores de cobertores, o que resultou em uma doação de mais de 100 cobertores.

Foram muitos bairros visitados pela Van, muitas pessoas que ligavam pedindo para que sua residência fosse uma das contempladas. Sendo eles, os bairros Renascer, Maria do Carmo, Macedo, Ilha, Saint Pastous, Nossa Senhora da Conceição, Olhos D’Água entre outros.

Cobertor Solidário - Rádio nativa e Portal Alegrete Tudo
Cobertor Solidário – Rádio nativa e Portal Alegrete Tudo

Cenas que marcaram

Entre várias cenas que marcaram a equipe, Gerson Brandolt cita uma senhora que reside no bairro Macedo e tem uma casinha que parece uma volante, porém, sem nenhuma estrutura onde o frio pela falta de algumas paredes e também frestas invade o local. Ela emocionada com a doação dos cobertores disse que o desejo é ter uma cozinha. Também, se depararam com um senhor, emocionado, segurou com muita força as cobertas pois seria uma noite em que o frio estaria em desvantagem. Ver aquele idoso agarrado naquelas cobertas como se criança fosse, ao ganhar um brinquedo esperado, desarma qualquer um.

Além disso, a equipe fez um agrado para as crianças e elas eram agraciadas com balas, em cada bairro, em cada residência, eles se faziam em números consideráveis e a alegria estampada quando recebiam os cobertores se tornou indescritível. Muitos, com o frio de zero grau, estavam com chinelos, sem meias, pouca roupa e pediam por alimentos. “O que mais se viu, além do frio que muitos estavam passando, é a fome, a miséria. Tem muitas famílias que pediram cestas básicas que descreveram a necessidade de alimentarem os seus. É preciso muito, por mais que façamos, ainda é preciso muito” – enfatizou Brandolt.

Em muitos bairros a situação é preocupante, talvez muitos não façam ideia, quem sabe a pandemia teve o seu agravante neste cenário, mesmo assim, o que se viu foi a necessidade urgente de mais ações para minimizar o sofrimento de muitos”- descreve.

“A Nativa é uma rádio que sempre teve essa identificação com a comunidade. A solidariedade e a empatia sempre foram os principais aliados para se enfrentar o inverno. Essa campanha é tradução de tudo isso. A dor do frio, é uma dor na alma. E só tem um remédio, o amor ao próximo”. “Ouvir uma mãe dizer, que hoje não escolheria quem sentiria mais frio. É porque cada doação, por mais singela que tenha sido, valeu a pena.”- sintetizou José Paulo Alvarenga.

Para completar, o relato foi de que em todos os locais, assim que van da Nativa chegava a alegria estampada nos rostinhos das crianças e adultos fizeram a diferença com o sempre lembrado bordão: Tá Feliz! Tá Nativa!

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários