fbpx
Conta de luz em junho fica mais cara
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Todos clientes da RGE neste mês de junho terão uma surpresa na conta de energia elétrica.A luz vai ficar mais cara no Rio Grande do Sul, a notícia foi confirmada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou na última terça-feira 11), o reajuste tarifário da RGE Sul Distribuidora de Energia S.A.Os aumentos médios para os clientes residenciais serão de 3,61% (área da RGE Sul, que agrega os clientes da Região Central) e de 6,19% (área da RGE). As novas tarifas entram em vigor a partir do dia 19 deste mês.A empresa atende 2,87 milhões de unidades consumidoras localizadas no Estado, atendendo mais de 7 milhões de pessoas nos 381 municípios.Ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço.O índice de reajuste da RGE Sul foi positivo, principalmente, pelos impactos dos custos com aquisição de energia e dos componentes financeiros que tratam da compensação dos valores de compra de energia do último processo tarifário.

O resultado do reajuste tarifário anual da RGE considerando o agrupamento das duas áreas de concessão originais levou a uma unificação tarifária que conduz a efeitos médios específicos a serem percebidos pelos consumidores, conforme a tarifa da distribuidora anterior responsável pelo atendimento.Confira abaixo os índices que serão aplicados às contas de luz dos consumidores.O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).

Júlio Cesar Santos                                          Fonte: Aneel


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •