É grande a incidência de furto e roubo de celular em Alegrete

O índice de furtos e roubos de celulares em Alegrete nestes últimos dias teve um crescimento considerável. A média diária é de dois registros. Na última semana, em uma madrugada, foram quatro vítimas em poucas horas. A área com maior índice até o momento é a região central.

Mas, também, ocorreram casos registrados nos bairros Vera Cruz, Prado e Progresso. Já na tarde de  sábado, o furto foi em uma residência. Um indivíduo entrou na casa e furtou dois celulares, assim como aconteceu na última segunda em que o acusado foi preso pela Brigada Militar depois de adentrar na casa de uma idosa e furtar a bolsa que estava no sofá com o aparelho celular e uma chave.

Conforme um policial civil, não há uma ligação entre um crime e outro, pelas descrições são pessoas diferentes que atacam geralmente à noite e madrugada. Os criminosos têm modus operandi distintos, eles agem de bicicleta ou a pé. Usam  bonés ou capuz, também ameaçam com facas e revólveres. “Algumas vítimas disseram que o ladrão ameaçou que iria atirar se não entregassem o celular. Mas nem todos visualizaram a arma.” – ressaltou.

 

Cuidados ao usar o aparelho na rua

Um dos policiais do setor de investigação da Polícia Civil de Alegrete, explica que é importante algumas medidas no dia-a -dia para prevenir o crime. Mas, caso o roubo aconteça, ressalta que o registro é fundamental.

Uma das principais orientações é evitar o uso do telefone em vias desertas, principalmente à noite. É preciso também evitar deixar o aparelho à mostra, mantê-lo em local seguro quando estiver na rua. Outro detalhe que chama muito atenção dos ladrões são os fones de ouvido.

Na avaliação do investigador da polícia civil, os criminosos não escolhem as vítimas e atacam conforme a oportunidade.

Normalmente, o aparelho é usado como troca para sustentar o uso de algum produto ilícito. Entretanto, a compra sem procedência é muito perigosa, pois a pessoa pode ser presa por receptação.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) orienta que o dono do celular roubado ligue para a operadora e bloqueie o telefone. Não é mais necessário fornecer o IMEI (sequência numérica que identifica o celular, o equivalente ao chassi dos carros). Basta o número da linha.

Compartilhe
  • 330
  •  
  •  
  •  
  •  
    330
    Shares