IFFAr continua em greve e com calendário suspenso

A greve é uma manifestação legítima dos servidores da educação, que reivindicam valorização profissional e um orçamento adequado às necessidades institucionais.

Após um longo período de espera por uma resposta do Governo Federal em relação às pautas protocoladas pelo SINASEFE (Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica), a greve foi deflagrada em abril deste ano. Esse movimento é uma ferramenta essencial de luta da classe, especialmente quando as reivindicações são minimizadas ou ignoradas pelo governo.

“Contando as horas para voltar ao lugar, de onde, se fosse minha escolha, jamais teria saído”, diz alegretense desgarrado

As últimas rodadas de negociação com o governo, ocorridas em maio, resultaram na rejeição das propostas governamentais pela ampla maioria das assembleias da categoria. O sindicato nacional apresentou uma proposta viável para encerrar a greve, mas ainda não há data definida para a retomada das aulas. Isso dependerá da resposta do governo, que está em negociação.

Morre a jornalista alegretense Magda Rocha

O Comando Nacional de Greve continua dialogando com o governo, e a próxima rodada de negociação, prevista para os dias 11 e 14 de junho, abordará pautas relacionadas aos técnicos e docentes da Rede Federal. A contraproposta do sindicato inclui reajustes salariais para docentes e técnicos administrativos. Para os docentes, a proposta prevê:

3,5% de reajuste em 2024

9% em janeiro de 2025

3,5% em maio de 2026

Já para a categoria de Técnicos Administrativos, os índices de recomposição salarial são:

4% em 2024

9% em 2025

9% em 2026

No entanto, a última proposta do governo não contemplou reajuste em 2024 (permanecendo em 0%) e apresentou divergências na pauta de reestruturação das carreiras.

Atualmente, 1.200 alunos dos cursos técnicos, integrados, graduação e pós-graduação do IFFAR – campus de Alegrete estão sem aula.

Artista captura as sutilezas de momentos especiais; sua arte ganhou visibilidade no Brasil

Ações solidárias Além da greve, com reuniões e formações constantes, os servidores do IFFAR Campus Alegrete também têm se engajado em ações solidárias. Realizaram doações para ajudar os afetados pelas enchentes no Rio Grande do Sul e na comunidade local. Essas doações incluíram sangue, fraldas, lenços umedecidos, roupas, cobertores, alimentos, cestas básicas, kits de higiene pessoal e de limpeza, ração para cães e gatos, além de meias destinadas aos idosos das entidades Casa Lar do Idoso e Asilo São Vicente de Paulo.

Ações solidárias do grevistas o IFFAR de Alegretk

Ainda não há uma data definida para o término da greve. Após a conclusão, o calendário letivo será reajustado, e todas as aulas serão repostas para garantir o direito ao aprendizado dos estudantes. Para assegurar a reposição das aulas, o calendário letivo será ajustado, incluindo o período de férias. Essa decisão será tomada após a conclusão da greve.

Os grevistas acompanham as negociações e mantêm a comunidade informada sobre os desdobramentos da greve. A luta pela valorização da educação pública continua.

Com informações do SINASEFE Seção Alegrete

Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários