Mais de 3,4 mil pedras de crack são apreendidas em sobrado de caxiense assassinado em Florianópolis

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Polícia Civil colheu informação de que rivais invadiriam a residência do traficante atrás de armas e drogas.

A Polícia Civil de Caxias do Sul apreendeu mais de 3,4 mil pedras de crack no sobrado em que morava de Ivan Oliveira Rodrigues, 29 anos, caxiense que foi assassinado em frente a um hotel em Florianópolis (SC). Os investigadores colheram informações que um grupo criminoso rival pretendia invadir a moradia da vítima, por isso os agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) se mobilizaram ainda no final da noite de domingo (3). A ação policial durou toda a madrugada desta segunda-feira (4).

Rodrigues foi assassinado dentro de um Fusion junto com Tiago Schizzi Bendl, 33, em um ataque com 15 tiros em frente a um hotel residencial na praia de Canasvieiras na tarde de domingo. Segundo a Polícia Civil, Rodrigues era responsável por armazenar e distribuir drogas e armas para uma facção que atua na Serra.

— Quando recebemos a informação (do duplo homicídio em Florianópolis), passamos a monitorar esta situação. Afinal, tudo indica que é uma rixa da nossa região. Foi assim que colhemos esta informação de que uma facção rival iria até lá. Era importante evitar que estas armas “caíssem de novo nas ruas”, mas encontramos apenas as drogas e dinheiro. Nossa ação foi célere, mas as portas e janelas do fundo do sobrado estavam abertas, então não sabemos se alguém conseguiu ter ido lá antes. É uma situação que continuaremos monitorando — comenta o delegado Luciano Pereira.

A apreensão aconteceu em um sobrado no bairro Vila Leon. As 3.490 pedras de crack estavam divididas em centenas de embalagens plásticas. Os policiais também recolheram um tijolo de cocaína, porções de maconha e aproximadamente R$ 9 mil.

A estimativa é que a ação policial causou um prejuízo de R$ 30 mil ao grupo criminoso. Ninguém estava na residência no momento das buscas policiais. A investigação continuará para identificar pessoas relacionadas a este tráfico de drogas.

Quem tiver informações sobre tráfico de drogas e o crime organizado pode denunciar diretamente a Draco pelo aplicativo Whatsapp no número (54) 98432-9312. Não é preciso se identificar.

Fonte e créditos: Gaúcha/ZH


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •