Não é nenhum ritual esotérico; é um taura depois da festança na noite de sexta-feira

Um cochilo inusitado. Assim pode- se descrever o registro de um gaudério à margem da ERS 566. Ele parecia tão despreocupado e livre.

Na manhã de sábado (25), em meio a protestos e movimentos que questionavam o caos da ERS 566, uma cena incomum foi registrada pelo repórter Júlio César dos Santos.

Tudo indica que um gaudério veio para cidade e no ritmo do “sextou”, abusou um pouco da comemoração.

O mais curioso era a forma em que ele estava em sono profundo. Não há como precisar o tempo, parecia que estava em modo “Buda” ou até mesmo meditando.

Naquela “concentração” ele estava totalmente indiferente à intensa movimentação. Talvez tenha chegado ali de carona, a pé, com motofetista, porém, o sono deve ter sido incontrolável e superior à sua vontade de seguir seu trajeto que adormeceu à beira da estrada, sentado.

Outro fator que chamou a atenção foi a facilidade para dormir num local tão impróprio. Um completo domínio do corpo e seus limites. As fotos revelam muito sobre a resiliência corporal do campeiro.

 

Flaviane Antolini Favero

 

Compartilhe
  • 3.2K
  •  
  •  
  •  
  •  
    3.2K
    Shares