O bartender alegretense que busca excelência na profissão no Centro do Estado
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Aos 30 anos, o alegretense Pedro Gabriel da Silva Fua, mora em Santa Maria. Ele foi para o centro do RS em busca da realização profissional.

Bartender desde 2016, está há 4 anos no ramo da coquetelaria, mas possui ampla experiência em eventos, onde atua desde os 14 anos.

Lá se vão 15 anos atuando em casamentos, formaturas, aniversários entre outros evento mostrando sua habilidade na arte da coquetelaria.

O alegretense diz que a coquetelaria, veio através de uma amiga chamada Cibele Chaibem, conterrânea que aconselhou ele a seguir no ramo. “Trabalhei nos 14 anos do filho dela,  no ano de 2016, e ela me aconselhou a buscar, aperfeiçoar o conhecimento, achava que eu tinha “jeito pra coisa” – conta Pedro.

 

Ele procurou e achou a escola de bartenders “Art Flair”, na capital do RS. Estudou no curso de coquetelaria básica, onde teve o conhecimento de matérias de bar, manutenção de bar, e os drinks em modo geral.

Em Alegrete, começou a atender alguns eventos, de pequeno porte, mais em bares da cidade. Concluiu o segundo curso que em “coquetelaria avançada” no ano de 2017.

Aprendeu o que é ser bartender, era o conhecimento que precisava para se tornar um bom bartender. “Então tudo mudou, a forma de trabalhar, o preço por evento, comecei então a classificar onde trabalharia, para ter mais reconhecimento, sempre buscando qualidade em cada drink.

Entre 2018 e 2019, criou a FUSE BAR E COQUETELARIA, uma equipe de 8 pessoas para poder atender bares e eventos no município. Ministrou um curso gratuito para 23 pessoas, e selecionou os melhores para compor a equipe. No inicio, ele conta que foi um pouco difícil. “As pessoas queriam a minha presença nos eventos, mas com o tempo, pude ir adequando tudo, e as pessoas que estavam comigo davam conta do recado”, relembra.

Em 2019, a equipe alcançou o ápice. Trabalho em eventos grandes, reunindo cerca de 500 pessoas, além do coquetel de debutantes, o evento de alto prestígio em Alegrete. “Foi um sucesso, com direito a reportagem no jornal local e tudo mais”, sorri Gardelon.

A oportunidade de ir para o centro do Estado surgiu em 2020. Foi para Santa Maria em março do ano passado, depois de conversas com o amigo Romano Silveira, junto com seus sócios Tiezer Silveira e André Nascimento. O trio foi o responsável pela ida do bartender alegretense ao centro do Estado.

“O mercado aqui é maior e com mais possibilidade de crescimento. Logo que cheguei estourou a pandemia e todos os projetos que tinha em mente de coquetelaria tiveram que ser adiados”, conta o alegretense.

Foi então, que o trio de amigos incentivadores do profissional, abriram uma oportunidade dele trabalhar na Salero Empório & churrasco. “Comecei como atendente e hoje sou gerente das duas lojas da rede”, frisa.

Mesmo com toda situação delicada em relação à pandemia, Pedro começou a fazer consultorias para bares e restaurantes, além de workshop também destinado a pessoas que gostariam de aprender a fazer seus drinks em casa. “Fiz um workshop “vamos falar de drinks” no Salero e depois, consultoria  para o La Bodega (São Gabriel) que na época era do amigo Douglas Parrillero.

Consultoria em Panambi no 885 Restrobar e em outros bares santa-marienses marcaram a trajetória neste um ano. Em meio a pandemia, Pedro é determinado, já em fase final de um projeto que deve sair em 2022 – a GARDELON EVENTOS, quer atender festas em todo centro do Estado, uma empresa que vai atuar no ramo de coquetelaria e alimentação.

“Iremos facilitar de modo fácil e pratico para o contratante realizar seu evento, já estamos com parceria bem avançadas com algumas empresas de Santa Maria para agregar mais facilidades”, explica.

Pedro salienta que a ida para Santa Maria abriu horizontes para o lado profissional, que jamais imaginaria conciliar a gerencia de uma empresa que vem crescendo muito apesar da pandemia, com a sua empresa que busca um espaço no mercado concorrido na região central.

“Com apoio incondicional dos meus gerentes tem sido fundamental. Como gosto de pensar somos do tamanho dos nossos sonhos, basta querer e ir atrás, mas tem querer de verdade”, ensina o alegretense.

Embora as dificuldades que passou longe de casa. Distantes das filhas, dos pais, Pedro conseguiu boa adaptação. “A saudade é difícil de lidar, converso quase todos os dias com meu pai ao telefone, e sempre pergunto para ele, quando vem passar uns dias aqui. O meu pai é minha maior inspiração para a vida, conquistou muitas coisas, e tudo que eu sei aprendi com ele, organização de eventos, pensar na recepção até o fim de uma festa, hoje mais do que nunca sou muito grato a cada discussão nossa, por que comecei com 14 anos e nessa fase não é muito fácil tu escutar, tu fala muito mais do que escuta e mesmo com tudo isso ele sempre me ensinou, a cada evento, consultoria ou workshop que vou fazer, penso: bem que o pai poderia estar aqui comigo, eu estaria mais tranquilo”, fala.

Pedro revela que hoje com 30 anos, continua aprendendo com o pai Gardelon, proprietário do restaurante Gardelon que recentemente encerrou às atividades em Alegrete.

“A gente conversa bastante ao telefone, ele me diz o que fazer quando as coisas não estão legais. Dia 25, ele recebeu a vacina, depois que desliguei o telefone me deu um alivio. Ser filho do Gardelon, o “Castelhano”, que conquistou muitas coisas é uma honra, que não encontro palavras pra descrever apenas agradecer a Deus pelo pai e pela mãe que Deus me deu.

A minha mãe também foi sempre muito importante, ela tem uma fé que poucas pessoas tem, sempre me dizendo o que fazer para se proteger do vírus e das surpresas da vida, tem a Júlia minha filha, ela praticamente criou pra mim, me ensinou como cuidar uma criança fui pai aos 20 anos e com 22 veio a segunda filha, minhas princesas, ela me ajudou muito, elas não dormem se a vovó abençoar elas pra dormir bem. Se eu tivesse 10 vidas, 11 eu gostaria de ser teu filho”, agradece um emocionado bartender que corre atrás do sucesso no centro do Estado.

Júlio Cesar Santos                                             Fotos: arquivo pessoal


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •