Polícia Civil investiga suspeita de publicações racistas nas redes sociais de aluna da UFSM

Investigação trata caso como racismo, mas não é descartada hipótese de injúria racial. Centro de Artes e Letras abriu investigação interna e afastou estudante por 60 dias.

A Polícia Civil assumiu a investigação de um suposto caso de racismo envolvendo uma aluna da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no município da Região Central do Rio Grande do Sul. O texto, já removido, teria sido publicado no dia 6 de maio, com ofensas a estudantes negros.

Conforme a delegada Débora Dias, o caso é tratado como racismo, mas não é descartada a hipótese de injúria racial. O diretor do Curso de Artes Cênicas, ao qual a suspeita seria vinculada, já prestou depoimento. Na próxima semana, devem ser ouvidos outros estudantes e a coordenadora do curso.

A investigação foi aberta pela Polícia Federal. Contudo, como as ofensas não causaram dano à universidade nem teriam sido cometidas por um funcionário federal, o caso foi encaminhado para a Polícia Civil.

O Centro de Artes e Letras abriu uma investigação interna e afastou a aluna por 60 dias. A direção do curso ainda disse repudiar qualquer manifestação racista e discriminatória. Já a UFSM também abriu um processo disciplinar interno. A instituição prestou solidariedade aos ofendidos e disse acreditar em uma universidade plural, sem espaço para preconceitos.

Durante a semana, estudantes protestaram contra o racismo nas dependências da UFSM.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários